sicnot

Perfil

Economia

Trabalhadores da STCP em greve a 11 de maio

A Federação dos Sindicatos de Transportes anunciou hoje que os trabalhadores da Sociedade de Transportes Coletivas do Porto (STCP) vão realizar uma greve a 11 de maio, em defesa do carácter público da empresa e pela contratação de mais motoristas.

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

Lusa

De acordo com a federação, a paralisação visa "a reposição do número de trabalhadores necessários para garantir a oferta programada" e "acabar de vez com a sistemática supressão de dezenas de carreiras diariamente, que tem afetado os utentes desta empresa".

 

A decisão de avançar com a greve foi aprovada na passada terça-feira num plenário de trabalhadores durante o qual foi também aprovada uma outra paralisação por tempo indeterminado, neste caso aos fins de semana e às últimas e primeiras horas das rendições dos motoristas. As datas para esta greve ainda não foram anunciadas.

 

No final desta reunião, o coordenador da Comissão de Trabalhadores (CT) da STCP, Pedro Silva, explicou que estas "formas de luta", aprovadas por unanimidade em plenário, realizar-se-ão a partir da segunda semana de maio com o objetivo de alertar para a "falta gritante" de motoristas.

 

Pedro Silva frisou que faltam "cerca de 150 trabalhadores" na STCP fazendo com que, na troca de serviço, não haja, por vezes, substituto obrigando o motorista a continuar a "sua jornada de trabalho", tendo de conduzir até 14 horas por dia.

 

Segundo o dirigente, a falta de efetivos, que se traduz em menos autocarros nas ruas, tem acentuado o descontentamento dos utentes e colocado em causa a segurança dos motoristas que tem sido alvo de agressões físicas e verbais.

 

Por seu lado, Jorge Costa, do Sindicato Nacional dos Motoristas (SNM), considerou que o serviço da STCP tem vindo a "degradar-se de forma propositada" para a empresa justificar a sua concessão.

 

 

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05