sicnot

Perfil

Economia

Taxa de desemprego da zona euro estabiliza nos 11,3% de fevereiro para março

A taxa de desemprego da zona euro fixou-se em 11,3% em março, o mesmo valor já registado em fevereiro, mas um recuo face aos 11,7% de março de 2014, segundo os dados hoje divulgados pelo Eurostat.

Ao nível da União Europeia, as estimativas do Eurostat apontam para  um excedente de 3,4 mil milhões de euros em novembro, contra os -3 mil milhões  observados em novembro de 2012 (EPA/ Arquivo)

Ao nível da União Europeia, as estimativas do Eurostat apontam para  um excedente de 3,4 mil milhões de euros em novembro, contra os -3 mil milhões  observados em novembro de 2012 (EPA/ Arquivo)

JULIEN WARNAND

Quanto ao total da União Europeia, o gabinete estatístico europeu estima que a taxa de desemprego corrigida das variações sazonais era em março de 9,8%, também neste caso o mesmo valor do mês anterior. Em março de 2014, a taxa de desemprego média do total dos 28 Estados-membros tinha sido de 10,4%.

Na quarta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou os dados do desemprego para Portugal, tendo estimado que a taxa de desemprego foi de 13,5% em março, menos 0,1 pontos percentuais do que em fevereiro e menos 1,2 pontos percentuais face aa período homólogo.

Tendo em conta os dados hoje divulgados em Bruxelas, comparando com os outros Estados-membros, Portugal tinha em março a quinta maior taxa de desemprego, atrás de Grécia (25,7%, valor referente a janeiro), Espanha (23,%), Croácia (18,2%) e Chipre (16%).

A Alemanha continuava a ter em março a taxa de desemprego mais baixa, de 4,7%.

Face há um ano, a taxa de desemprego baixou em 22 Estados-membros sendo os recuos mais significativos os de Irlanda (de 12% para 9,8%), Espanha (de 25,1% para 23%) e Polónia (de 9,6% para 7,7%). Entre os cinco países em que aumentou o desemprego, destaque para Croácia (de 17,3% para 18,2%), Finlândia (de 8,4% para 9,1%) e Itália (de 12,4% para 13%). Já na Áustria o desemprego ficou estável em termos homólogos. 

O Eurostat estima que em março havia 23,748 milhões de trabalhadores sem emprego na União Europeia, sendo que 18,105 milhões estão na zona euro.

Já o desemprego jovem atingia 4,804 milhões de pessoas com menos de 25 anos nos 28 países, dos quais 3,215 milhões nos 19 da moeda única. Isto significa uma taxa de desemprego jovem de 20,9% na UE e 22,7% na zona euro, abaixo dos 22,8% e 24,2% de fevereiro, respetivamente.

Em Portugal, em março, a taxa de desemprego dos jovens situou-se em 33,8%, acima dos 33,7% estimados para fevereiro.

Os países com mais desemprego entre os jovens são Grécia (50,1% em janeiro), Espanha (50,1%), Croácia (45,5% no primeiro trimestre) e Itália (43,1%), posicionando-se assim Portugal como o quinto país com mais desempregados jovens.

Tal como para a taxa de desemprego geral, a Alemanha também é o Estado-membro com menos desempregados jovens, atingindo 7,2% das pessoas com menos de 25 anos. 


Lusa
  • Resgate de mais de 300 migrantes no Mediterrâneo
    2:08
  • 10 Minutos com Eurico Reis
    11:20

    10 Minutos

    Há quatro meses que Portugal é um dos poucos países europeus onde é possível recorrer à gestação de substituição. E há já um casal que teve luz verde para começar os tratamentos. Para um balanço, foi nosso convidado Eurico Reis, juiz desembargador e presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, a entidade que autoriza os processos de gestação de substituição.

    Entrevista completa

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01