sicnot

Perfil

Economia

Greve na TAP cancelou 21 voos até às 8:00

Greve na TAP cancelou 21 voos até às 8:00

A TAP cancelou 21 voos até às 08:00 da manhã, na sequência da greve dos pilotos, sendo que destes 21, seis tinham sido cancelados na véspera. Mas apesar da greve, já foram realizados hoje voos não abrangidos pelos serviços mínimos como explica a porta-voz da companhia, Carina Correia.

Segundo Carina Correia, porta-voz da Transportadora Aérea Portuguesa, foram realizados 52 voos, número que abrange os serviços mínimos e os regressos a Portugal - também incluídos nos serviços mínimos, sem especificar o número de ligações cumpridas fora deste contexto. 

"Faremos essa contagem mais à frente. Felizmente para os passageiros há pilotos a apresentar-se ao serviço", disse. 

Os pilotos da TAP iniciaram à meia-noite uma greve de dez dias, por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação no capital da empresa no âmbito da privatização. 

Segundo a porta-voz da TAP, os passageiros dos 21 voos cancelados - os passageiros de seis deles tinham sido contactados antecipadamente - estão a ser acompanhados pelos serviços da TAP que tentam encontrar um solução, que pode passar por mudar de voo, a data ou receber um 'voucher' com o valor pago, com duração de um ano. 

Os passageiros cujos voos não foram cancelados antecipadamente fazem o seu 'check in' normalmente e seguem para as portas de embarque e só nessa altura têm a confirmação se o voo se vai realizar ou não. 


Com Lusa
  • Começou greve na TAP, pilotos não fecham porta a negociações
    11:51

    Economia

    Os pilotos da TAP estão em greve desde a meia-noite, um protesto que se prolongará pelos próximos dez dias. O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil culpa sobretudo o Governo. Em entrevista à SIC Notícias, o diretor do sindicato, Hélder Santinhos, disse que as negociações não estão fechadas e que aguardam uma iniciativa da administração da empresa ou do Executivo. Sobre a última tentativa de acordo, na tarde de quinta-feira, o SPAC adianta que "correu mal", estava disposto a deixar cair uma das reivindicações mas nega que tenha existido um pré-acordo entretanto rasgado. "Não é uma greve que vai destruir uma empresa como a TAP", concluiu.

  • Passos lamenta greve dos pilotos no 1º de Maio
    1:30

    Economia

    Passos Coelho respondeu esta quinta-feira às críticas do Sindicato de Pilotos da Aviação Civil. Num encontro com Trabalhadores Social Democratas, no Porto, o primeiro-ministro e líder do PSD disse lamentar que tenham escolhido o 1º de Maio para fazer greve. Quanto à acusação que é feita pelo SPAC, Passos garante que o Governo cumpriu o acordo assinado com os sindicatos.

  • Sessão solene no Parlamento e desfile popular nas celebrações do 25 de Abril

    País

    Os 43 anos da Revolução dos Cravos são hoje comemorados com a sessão solene no Parlamento e o tradicional desfile popular, tendo o Presidente da República escolhido o 25 de Abril para condecorar, a título póstumo, Francisco Sá Carneiro. A SIC Notícias acompanha esta manhã a sessão solene na Assembleia da República. Veja aqui em direto.

  • Desconhecem-se as causas do incêndio na fábrica da Tratolixo
    0:43

    País

    Os moradores de Trajouce, em São Domingos de Rana, não ganharam para o susto com um incêndio nas instalações da empresa de resíduos Tratolixo.O alerta foi dado por populares e trabalhadores da empresa. O vento foi o maior problema dos bombeiros no combate às chamas durante a noite. No local estiveram 133 homens, apoiados por 51 viaturas.Desconhecem-se para já as causas do incêndio. O incêndio foi circunscrito de madrugada, mas pode demorar algumas horas a ser dominado.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Duas execução no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.