sicnot

Perfil

Economia

Piloto espanhol diz que Portugal deve olhar para erros de outras privatizações

Piloto espanhol diz que Portugal deve olhar para erros de outras privatizações

Depois de sete dias de greve na TAP, o sindicato voltou a reunir com os pilotos. Para reforçar os motivos da paralisação, o SPAC convidou Francisco Hoyas, um piloto da Iberia que foi delegado sindical na altura em que a companhia espanhola foi privatizada. O piloto diz que Portugal deve olhar para os erros cometidos nas privatizações das companhias aéreas de outros países e afirma que os pilotos da TAP estão a defender o país.

  • Governo afasta requisição civil perante eventual nova greve na TAP
    0:43

    Economia

    O ministro da Presidência diz que uma possível nova greve dos pilotos da TAP é um profundo desrespeito pelo país e volta a pedir aos profissionais da aviação que desobedeçam à paralisação convocada pelo sindicato. Ainda assim, Luís Marques Guedes diz que o Governo não vai avançar com uma requisição civil.

  • Sétimo dia de greve com mais voos que nos outros dias
    1:34

    Economia

    O Governo mostra-se satisfeito pelo facto de os números avançados pelo sindicatos dos pilotos, no ínicio da greve, não baterem certo. Ao 7º dia do protesto, o número de voos realizados pela TAP ficou ligeiramente acima da média diária. German Efromovich está em Lisboa até sábado e decide, nos próximos dias, se faz ou não uma proposta pela companhia.

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.