sicnot

Perfil

Economia

Economia no 1º trimestre cresce mais 1,4% que no ano passado

A economia portuguesa cresceu 1,4% no primeiro trimestre deste ano em termos homólogos e 0,4% face ao trimestre anterior, segundo a estimativa rápida das Contas Nacionais Trimestrais, hoje divulgada pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

© Carlos Garcia Rawlins / Reuters

Os dados hoje divulgados estão em linha com os valores mais baixos apresentados pelos analistas, que oscilavam entre uma recuperação de 1,4% e 1,7% em termos homólogos, no caso do BPI e do Montepio, enquanto o Núcleo de Estudos sobre a Conjuntura da Economia Portuguesa (NECEP) da Universidade Católica previa uma melhoria de 2,1%. 

Estes analistas do BPI e do Montepio tinham igualmente antecipando um crescimento económico em cadeia entre 0,4% e os 0,5%, ao contrário dos analistas do BBVA e do NECEP que previam um crescimento mais expressivo, entre os 0,9% e o 1%.

O INE justifica que a aceleração de 1,4% em volume do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2015, em termos homólogos, "esteve associada ao aumento do contributo da procura externa líquida", em resultado do "abrandamento das importações de bens e serviços e da aceleração das exportações de bens e serviços". 

O crescimento de 1,4% compara com a variação de 0,6% atingida no quarto trimestre de 2014.

O INE explica ainda que o aumento de 0,4% em termos reais no primeiro trimestre, face ao anterior, reflete o contributo positivo da procura interna e lembra que esta variação foi idêntica à verificada nos últimos três meses de 2014, face ao trimestre precedente.

"Esta estimativa rápida tem implícito um ganho de termos de troca superior ao observado no trimestre anterior, sendo o deflator das importações significativamente negativo, refletindo nomeadamente a redução dos preços dos bens energéticos", lê-se no documento.

O gabinete de estatísticas reforça que a procura interna apresentou "um contributo positivo menos significativo" no primeiro trimestre, em termos homólogos, devido "ao acentuado contributo negativo da variação de existências", mas destaca que face ao trimestre anterior, o crescimento do PIB "traduziu o contributo positivo da procura interna".

Esta estimativa rápida, detalha o INE, incorpora revisões na informação de base utilizada, nomeadamente decorrentes da utilização dos dados mais recentes do comércio internacional de bens, com revisões em termos nominais e ao nível dos deflatores para o quarto trimestre de 2014. 

Além disso, inclui a revisão para o ano de 2014 dos indicadores de curto prazo, informação nova que implicou uma revisão em baixa de 0,1 pontos percentuais nas taxas de variação homóloga e em cadeia do PIB para o quarto trimestre de 2014, explica.

Os resultados correntes das Contas Nacionais Trimestrais do primeiro trimestre de 2015 serão divulgados no próximo dia 29 de maio de 2015, diz o INE.

O Eurostat apresenta também hoje os dados referentes à evolução do PIB dos países da União Europeia.


Lusa
  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.