sicnot

Perfil

Economia

Portugal colocou Bilhetes de Tesouro a taxas negativas pela 1ª vez

 Portugal colocou hoje 1.500 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro (BT) a seis e a 12 meses, com a taxa a seis meses a ser negativa, o que acontece pela primeira vez.

(Arquivo Reuters)

(Arquivo Reuters)

(Reuters/Arquivo)

Segundo dados do IGCP, publicados na página da agência Bloomberg, a taxa de juro média a 12 meses fixou-se em 0,021%, enquanto a taxa média a seis meses se fixou em -0,002%.


De acordo com a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na agência Bloomberg, em BT a seis meses foram colocados 300 milhões de euros a uma taxa média de -0,002%, pela primeira vez desde sempre negativa e abaixo da do anterior leilão comparável, de 0,047%, a 18 de março. A procura foi 4,61 vezes superior ao montante colocado, já que atingiu 1.382 milhões de euros.


Em BT a 12 meses foram colocados 1.200 milhões de euros a uma taxa de juro média de 0,021%, também inferior à de 0,094% praticada no anterior leilão comparável em 18 de março. Em relação à procura de BT a 12 meses, esta cifrou-se em 2.365 milhões de euros, 1,97 vezes superior ao montante colocado. 


No anterior leilão de BT a seis meses, que ocorreu a 18 de março, o Estado conseguiu colocar 300 milhões de euros a uma taxa média de 0,047%, enquanto no anterior leilão de BT com maturidade de um ano, que ocorreu na mesma data, foram colocados 950 milhões de euros a uma taxa média de 0,094%.


Os dois leilões de hoje estavam já previstos no calendário de financiamento para o segundo trimestre do ano, que aponta ainda para a realização de mais dois leilões de BT, que deverão ocorrer em meados de junho. 


Estes leilões deverão ter uma maturidade de três e 11 meses e um montante indicativo global entre 1.000 e 1.250 milhões de euros, de acordo com a página oficial do IGCP.


Neste segundo trimestre, está prevista ainda a emissão de dívida de longo prazo, através da combinação de sindicatos e leilões de Obrigações de Tesouro, esperando-se uma colocação de 1.000 a 1.250 milhões de euros por leilão.


No programa de financiamento do Estado para 2015, divulgado em janeiro, o IGCP previu a emissão bruta de até 14.000 milhões de euros em dívida de médio a longo prazo ao longo do ano para cobrir as necessidades de financiamento, embora o documento não incluísse o pagamento antecipado de parte do empréstimo contraído junto do Fundo Monetário Internacional.



Lusa

  • Marcelo promete entregar carta de menina com paralisia cerebral ao primeiro-ministro
    3:05

    País

    O Presidente da República está preocupado com os cuidadores dos cidadãos que precisam de cuidados paliativos. No Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que se assinalou este sábado, Marcelo Rebelo de Sousa visitou a Casa do Tejo, em Algés, onde três famílias de crianças com paralisia cerebral e outros problemas de saúde são recebidas em conjunto com os pais para que toda a famíla possa receber apoio de técnicos especializados. O Presidente recebeu uma carta de uma menina de 5 anos, com paralisia cerebral, e prometeu que a vai entregar ao primeiro-ministro, para que seja aberta uma porta legislativa mais larga para os problemas das pessoas deficientes.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02