sicnot

Perfil

Economia

Segunda greve numa semana no Metro de Lisboa

A circulação de composições no Metropolitano de Lisboa vai estar suspensa hoje a partir das 23:20 devido à greve de 24 horas marcada para terça-feira pelos trabalhadores, a segunda no espaço de uma semana contra a subconcessão da empresa.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Numa nota hoje divulgada, o Metropolitano de Lisboa adiantou que a circulação estará suspensa entre as 23:20 de hoje e as 6:30 de quarta-feira "por motivo de greve de 24 horas convocada por várias organizações sindicais representativas dos trabalhadores".

A transportadora acrescenta que a Carris reforçará algumas das carreiras de autocarros que coincidem com os eixos servidos pelo Metro, entre as 06:30 e as 21:00 de terça-feira.

As linhas com reforço do número de autocarros em circulação são a 726 (Sapadores - Pontinha Centro), a 736 (Cais do Sodré - Odivelas -- Bairro Dr. Lima Pimentel), a 744 (Marquês de Pombal - Moscavide -- Quinta das Laranjeiras) e a 746 (Marquês de Pombal - Estação Damaia).

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS) anunciou, entretanto, que vai reunir-se hoje à tarde com o secretário de Estado dos Transportes, para discutir a situação na Carris e no Metro, aproveitando mais uma vez para manifestar a sua oposição ao processo de subconcessão daquelas duas empresas de transportes de Lisboa.

Na reunião, que a Secretaria de Estado não confirma, os sindicalistas pretendem "confrontar o titular da pasta com o conjunto de problemas existentes nestas empresas e com as medidas que estão a conduzir à degradação do serviço público".

Para a greve de terça-feira, o tribunal arbitral do Conselho Económico e Social (CES) decidiu não decretar serviços mínimos para a circulação de comboios.

Esta é a sexta paralisação realizada pelos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa este ano.

Além da greve de 24 horas da passada terça-feira, a 24 de fevereiro, 16 e 18 de março e 28 de abril foram realizadas greves parciais, entre as 06:30 e as 09:30, levando a que a circulação de composições se realizasse nesses dias apenas a partir das 10:00.



Lusa
  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.