sicnot

Perfil

Economia

Prejuízo da Metro do Porto agravou-se para os 400 M€ em 2014

O prejuízo da empresa Metro do Porto agravou-se em 2014 para os 400 milhões de euros face aos 47,6 milhões registados em 2013, num ano em que alcançou novo recorde de clientes transportados, atingindo as 56,7 milhões de validações.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

LUSA

As contas de 2014 da Metro do Porto foram hoje aprovadas em assembleia-geral, com o voto contra do acionista Câmara de Matosinhos e as abstenções de outras autarquias acionistas da Área Metropolitana do Porto (Porto, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Gondomar e Vila Nova de Gaia) e da própria Área Metropolitana do Porto.

Na ordem dos trabalhos constava a eleição de novos órgãos sociais, bem como a aprovação do Plano de Atividades e Orçamento para 2015. Contudo, estes pontos foram retirados da agenda porque o representante do acionista Estado entendeu "não considerar oportuno" serem tratados agora, disse aos jornalistas o presidente da mesa da Assembleia Geral, Valentim Loureiro.

O representante do Estado "não deu mais explicações", concluiu Valentim Loureiro, que aguardará que o acionista maioritário - Estado - e os restantes acionistas -autarquias e AMP - desejem realizar nova reunião magna para abordar "quaisquer pontos que queiram tratar ou ver tratados".

Em 2014, a Metro do Porto obteve "um resultado líquido negativo de 400,6 milhões de euros, fortemente agravado relativamente a 2013, resultado do efeito positivo nas contas de 2013 da liquidação de 11 operações de derivados de taxa de juro e do agravamento de 111,9 milhões de euros da Atualização Financeira das Provisões", justifica o presidente da empresa, João Velez Carvalho, na mensagem que deixa no relatório.

De acordo com o documento aprovado, o número global de clientes, as receitas e a taxa de cobertura dos custos atingiram os seus valores mais elevados desde o início da operação do metro, há 12 anos.

"Da gestão corrente da Metro evidencia-se em 2014 o número de 56,7 milhões de validações, um novo recorde anual, 1,8% acima do anterior registado em 2013, uma receita de 39,7 milhões de euros, 2,1% acima da do ano anterior, custos operacionais de 43,7 milhões de euros, mais 0,2% que os do ano anterior, passando a taxa de cobertura dos custos operacionais pelas receitas de 89,2% em 2013 para 90,8% no ano", refere Velez Carvalho no relatório.

O responsável destaca ainda que, em 2014, a empresa obteve um EBITDA [resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações] de 700 mil euros, um resultado operacional negativo de 85,1 milhões de euros, sensivelmente igual ao registado no ano anterior (-85,4 milhões de euros).

"Os resultados líquidos da empresa continuam, assim, a evidenciar a ausência de contrapartidas pela utilização do investimento realizado, a necessidade de criação de provisões para reposição dos equipamentos cuja vida útil seja inferior ao período de concessão, a entrega a custo zero e em normais condições de uso de todo o aparelho produtivo no final desta, o financiamento do investimento com cerca de 76% de capital alheio e os efeitos dos contratos de derivados financeiros celebrados em anos anteriores", acrescenta o responsável.

Para Velez Carvalho, embora se tenham obtido melhorias quanto à sustentabilidade da empresa, a sua reestruturação e fusão com a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP, nomeadamente no aspeto do rendimento do efetivo, continuaram a ser temporariamente prejudicados pela incerteza quanto ao modelo de organização da mobilidade na Área Metropolitana do Porto.


Lusa
  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço dos professores
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50