sicnot

Perfil

Economia

Indicador de clima económico sobe mas confiança dos consumidores diminui

O indicador de clima económico aumentou em maio, batendo um máximo desde maio de 2008, mas o indicador de confiança dos consumidores diminuiu ligeiramente, invertendo a subida registada desde o início de 2013, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE). 

(Reuters)

(Reuters)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O indicador de clima económico bateu máximos em maio "na sequência da trajetória crescente iniciada em janeiro de 2013", diz o INE. 

Já a diminuição do indicador de confiança dos consumidores resultou "apenas do contributo negativo das expetativas relativas à evolução da poupança", justifica. 

Contudo, o gabinete de estatísticas explica que "sem a utilização de médias móveis de três meses", o indicador de confiança aumentou em maio, "devido ao contributo positivo das perspetivas sobre a evolução do desemprego e da situação financeira do agregado familiar", uma vez que as restantes componentes contribuíram negativamente.

O indicador de confiança da indústria transformadora aumentou em maio, devido "ao contributo positivo das apreciações sobre a procura global", fixando o máximo desde abril de 2008, assim como o indicador de confiança da construção e obras públicas também recuperou em maio, observando-se "uma evolução positiva das opiniões sobre a carteira de encomendas, uma vez que o saldo das expetativas de emprego diminuiu".

Por sua vez, o indicador de confiança do comércio atingiu no último mês o valor mais elevado desde agosto de 2001, refletindo "o contributo positivo de todas as componentes, sobretudo das perspetivas de atividade" e o indicador de confiança dos serviços também recuperou em maio, registando o máximo desde junho de 2008, devido ao comportamento positivo das opiniões sobre a atividade da empresa e sobre a evolução da carteira de encomendas, mais significativo no primeiro caso.



Lusa
  • Descida da TSU inconstitucional?
    2:37

    TSU

    Especialistas ouvidos pela SIC põem em causa a constitucionalidade da descida da Taxa Social Única dos patrões, como contrapartida pelo aumento do salário mínimo. Como se trata de um imposto pago pelas empresas, só o Parlamento pode decidir uma alteração nas taxas. Neste caso, o Governo decidiu sozinho.

  • Autocarro com seguranças atacado em Braga
    0:42

    Desporto

    Dois autocarros que transportavam elementos de uma empresa de segurança foram atingidos por tiros e pedras depois do jogo entre o Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães. O ataque deu-se a poucos quilómetros do Estádio Municipal de Braga. A PSP e a PJ estiveram no local a recolher provas.