sicnot

Perfil

Economia

Venda da PT Portugal à Altice concluída com dívida a passar para a Oi

A Altice concluiu esta terça-feira a compra da PT Portugal à Oi, por 5,7 mil milhões de euros, dos quais 4,9 mil milhões foram recebidos em caixa pela Oi, segundo um comunicado da operadora brasileira, divulgado no 'site' da Bovespa.

A Pharol é a antiga PT SGPS. (Arquivo)

A Pharol é a antiga PT SGPS. (Arquivo)

SIC

"Pela aquisição da PT Portugal, a Altice Portugal desembolsou o valor total de 5,789 bilhões de euros", diz o comunicado, assinado pelo diretor de Finanças e de Relações com Investidores da Oi, Flavio Nicolay Guimarães.

O documento explica que dos 5,7 mil milhões de euros, 4,9 mil milhões foram recebidos em caixa pela operadora brasileira Oi e 869 milhões de euros "foram destinados a imediatamente quitar dívidas da PT Portugal em euros".

Além disso, acrescenta que "o preço final está sujeito a eventuais ajustes pós fechamento a serem apurados nos próximos meses em função de alterações nas posições de caixa, dívida e capital de giro [fundo de maneio] na data de fechamento".

A concretização da venda da PT Portugal estava prevista para hoje, apesar de fontes ligadas à operação terem admitido anteriormente à Lusa que o prazo poderia resvalar ligeiramente devido a negociações em curso.

O acionista da Altice e dono de 30% da empresa francesa Armando Pereira deverá ser o novo presidente do conselho de administração da PT Portugal, segundo adiantou à Lusa fonte ligada à operação em declarações recentes, sendo ainda desconhecido o nome do futuro presidente executivo.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), a PT Portugal divulga também que a Oi aprovou em assembleia-geral de 27 de maio a redução do capital social na operadora em 1,54 mil milhões de euros para 17 milhões e lembra que esta operação "foi implementada com vista à segregação dos investimentos" relativos a ativos africanos e em Timor.

Deste modo, o capital social da PT Portugal cifra-se atualmente no montante de 17.000.000, encontrando-se integralmente subscrito e realizado e sendo representado por 50.000 ações nominativas, ordinárias e escriturais, com valor nominal unitário de 340 euros. Em face da conclusão da alienação da PT Portugal na data de hoje, tais ações são atualmente detidas pela Altice Portugal", lê-se no documento.

A dona do Meo refere ainda que não tem desde 27 de maio qualquer participação na PT Participações, SGPS, sendo as ações representativas da totalidade do capital social desta última sociedade integralmente detidas pela oi.

Num outro comunicado, a PT Portugal adianta que os 400 milhões de euros em obrigações da operadora passaram hoje para a Portugal Telecom International Finance e, logo, para a Oi que a detém, tal como estava previsto.
Lusa
  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.