sicnot

Perfil

Economia

Banco central grego admite saída do euro se negociações falharem

O governador do Banco da Grécia, Yanis Stournaras, assegurou hoje que o fracasso das negociações entre Atenas e as instituições internacionais pode provocar o "Grexit", ou seja, a saída do país da zona euro.       

© Yannis Behrakis / Reuters

"Um fracasso das negociações seria o início de um processo doloroso que conduziria inicialmente ao incumprimento de pagamentos e finalmente à saída da zona euro e, provavelmente, da União Europeia", afirmou Stournaras durante uma comparência no Parlamento para apresentar o relatório sobre a política monetária de 2014 a 2015.     

O governador do banco central grego congratulou-se com a aproximação entre o Governo grego e as instituições (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) sobre a necessidade de rever em baixa os objetivos de excedente primário e considerou "da mesma importância precisar a intenção dos parceiros para reestruturar a dívida". 

O relatório do Banco da Grécia sublinha que a incerteza dos últimos dois trimestres teve consequências nefastas para a economia grega e confirma que no período desde outubro de 2014 a abril deste ano saíram do sistema bancário grego "quase 30.000 milhões de euros", que em boa parte ficaram em mãos de particulares.

Segundo o relatório, um acordo restabeleceria a confiança entre as autoridades gregas e os credores, garantiria o apoio financeiro dos parceiros e do Fundo Monetário Internacional ao país e permitiria aplicar uma política financeira mais equilibrada. 

A Grécia também poderia tirar proveitos do programa de compra de dívida soberana do Banco Central Europeu. 

O relatório conclui com uma série de propostas para a elaboração de uma política de crescimento, que deveria continuar as reformas estruturais, fortalecer a criação de emprego para fazer frente à alta taxa de desemprego, adotar um fiscalidade estável e manter o ritmo do gasto público.  

O documento sublinha que o excedente primário deve ser conseguido "através de medidas estruturais e não com medidas que aumentem os impostos". 

Também pede para ter atenção à sustentabilidade do sistema de pensões "com a redução das exceções que há nas regras gerais", aludindo, por exemplo, às reformas antecipadas. 

O governador do banco central grego concluiu que com o apoio dos parceiros se pode acelerar o procedimento para que o país possa regressar a financiar-se nos mercados e sublinhou que o novo programa deve incluir a promessa dos parceiros fizeram em novembro de 2012, incluída no segundo resgate, de reestruturar a dívida. 



Lusa
  • "Sinto-me como quem leva uma sova monumental"
    0:30
  • Temperaturas vão subir até 4ª feira

    País

    As temperaturas vão subir até esta quarta-feira, prevendo-se máximas entre os 22 e os 29 graus na generalidade do território, valores acima do normal para a época do ano, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Equipa responsável por renovação da Proteção Civil ainda não é conhecida
    2:45

    País

    A constituição da unidade de missão que deverá entrar esta segunda-feira em funções para concretizar a reforma dos sistemas de prevenção e combate a incêndios ainda não é conhecida. A equipa de trabalho anunciada por António Costa será responsável por pôr de pé o novo sistema de Proteção Civil, aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

  • "Quero unir o PSD depois de o clarificar"
    1:17
  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.