sicnot

Perfil

Economia

Nova greve de 24 horas do Metro de Lisboa a 26 de junho

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa entregaram um novo pré-aviso de greve de 24 horas para dia 26 de junho, contra a privatização e a reestruturação da empresa, disse esta quinta-feira à Lusa fonte sindical.

A greve de hoje registou uma adesão a rondar os 100% dos trabalhadores da parte operacional da empresa, encontrando-se as estações encerradas, disse à Lusa uma fonte sindical. (Arquivo)

A greve de hoje registou uma adesão a rondar os 100% dos trabalhadores da parte operacional da empresa, encontrando-se as estações encerradas, disse à Lusa uma fonte sindical. (Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

De acordo com José Manuel Oliveira, coordenador da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS), a greve a realizar na sexta-feira, dia 26 de junho, tem os mesmos motivos e decorrerá nos mesmos moldes da realizada hoje, com a duração de 24 horas.

As estações do Metropolitano de Lisboa encerraram às 23:20 de quarta-feira e abrirão às 6:30 de sexta-feira devido à greve de 24 horas realizada hoje - a oitava este ano - em protesto contra a subconcessão da empresa e contra a prevista dispensa de trabalhadores.

A greve de hoje registou uma adesão a rondar os 100% dos trabalhadores da parte operacional da empresa, encontrando-se as estações encerradas, disse à Lusa uma fonte sindical.

Por seu lado, fonte do Metropolitano de Lisboa realçou que a empresa não divulga números de adesão à greve.

O Governo aprovou a 26 de fevereiro a subconcessão do Metro e da Carris e, na segunda-feira, revelou que cinco candidatos apresentaram propostas, das quais três são conjuntas às duas empresas.

As empresas interessadas no Metropolitano são a transportadora parisiense RATP (Régie Autonome des Transports Parisiens) e a também francesa Transdev, além da britânica National Express e da espanhola Avanza.

Em declarações à Lusa, no início de junho, o presidente da Transportes de Lisboa, Rui Loureiro, revelou que os contratos das subconcessões do Metropolitano de Lisboa e da Carris devem ser assinados a partir de 15 de julho.
Lusa
  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional.