sicnot

Perfil

Economia

Costa defende descida da TSU obrigatória para trabalhadores

Costa defende descida da TSU obrigatória para trabalhadores

António Costa diz que a descida temporária da TSU para os trabalhadores vai ser obrigatória. Em entrevista à SIC, o secretário-geral do PS não se comprometeu com aumentos do salário mínimo ou com os novos escalões do IRS. Sobre o caso Sócrates, Costa diz ter obrigação de separar as águas e manter uma postura institucional, mesmo que lhe doa a alma.

  • "É urgente mudar esta página da austeridade"
    35:18

    País

    O secretário-geral do PS promete aumentar o número de escalões e a progressividade do IRS para desagravar a classe média e defendeu que na privatização da TAP apenas foi assinado uma espécie de contrato-promessa. António Costa defende que "é urgente mudar esta página da austeridade". Veja ou reveja a entrevista na íntegra do líder socialista, no Jornal da Noite desta quinta-feira.

  • PS acredita que redução da TSU vai aumentar o emprego
    1:46

    Economia

    Os economistas que prepararam o programa do PS voltaram a fazer contas. Estimam agora que a redução dos descontos para a Segurança Social vai injectar 1900 milhões de euros na economia.Explicam que os trabalhadores ficam com mais dinheiro para gastar e que isso reanima a produção e cria emprego. Com menos desempregados a cargo, a segurança social passa a ter menos despesa com subsídios.

  • Cavaco rejeita comentar propostas para a Segurança Social
    0:20

    Economia

    O Presidente da República não quis comentar as propostas do PS e dos partidos da maioria para a Segurança Social. Cavaco Silva esteve este sábado na inauguração da Feira Nacional da Agricultura, em Santarém, onde foi questionado pelos jornalistas sobre a TSU, mas falou apenas sobre questões agrícolas.

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.