sicnot

Perfil

Economia

Protesto contra reestruturação do setor da água em Lisboa

Os autarcas da Área Metropolitana de Lisboa (AML) vão concentrar-se hoje junto à Mãe de Água, nas Amoreiras, em protesto contra a agregação de sistemas multimunicipais na empresa Águas de Lisboa e Vale do Tejo.

© Toby Melville / Reuters

A agregação de sistemas de abastecimento de água em alta integra-se na reestruturação do setor da água, preconizada pelo Governo, que decidiu implementar a fusão dos 19 sistemas multimunicipais em apenas cinco empresas.

A concentração dos autarcas dos 18 municípios da AML, que decorre a partir das 10:30 junto às Amoreiras, Lisboa, foi proposta pelo presidente da Câmara do Barreiro, Carlos Humberto (CDU), tendo sido convidados também os presidentes de juntas de freguesia dos municípios afetados pela reestruturação, assim como os eleitos de outras regiões do litoral e do interior que estão contra a medida do Governo.

Esta ação de protesto decorre no mesmo dia em que se realizam assembleias gerais nas 19 empresas regionais, participadas pelo grupo Águas de Portugal, com o objetivo de constituir as novas sociedades dos sistemas multimunicipais de abastecimento de água.

A nova empresa Águas de Lisboa e Vale do Tejo e EPAL agrega oito sistemas multimunicipais, entre os quais a Sanest -- Sistema de Saneamento da Costa do Estoril, a Simtejo -- Sistema Integrado dos Municípios do Tejo e Trancão e a Simarsul -- Sistema Integrado Multimunicipal de Águas Residuais de Setúbal.

O Ministério do Ambiente justificou a agregação dos sistemas regionais em cinco entidades com o objetivo de "um fortíssimo emagrecimento" do grupo Águas de Portugal, para reduzir custos em 2.700 milhões de euros e promover uma "harmonização tarifária" entre o interior e o litoral.

A tutela destaca ainda que, com esta reestruturação, "o custo do setor da água será reduzido em três quartos dos municípios e apenas num quarto dos municípios haverá um custo agravado".

 

FYS (LYFS/JAP) // PMC

Lusa/Fim

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34
  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.