sicnot

Perfil

Economia

Ministro da Energia quer mercado global de emissão de carbono

O ministro da Energia, Jorge Moreira da Silva, diz estar "surpreendido" com a falta de debate para a criação de um mercado global de emissão de carbono.

(Arquivo)

(Arquivo)

ANT\303\223NIO COTRIM

"Ninguém está a falar da criação de um mercado global de emissão de CO2. Para mim é uma surpresa", disse o ministro acerca das conversas climáticas das Nações Unidas, a serem realizadas em dezembro, em Paris.

Durante a 21.ª Conferência do Clima é esperado um acordo, entre os 196 países participantes, que permita limitar o aumento da temperatura global a um máximo de 2°C, acima dos níveis pré-industriais. 

Para o ministro da energia "a questão não é saber se vamos ou não atingir esse objetivo, mas sim quais os custos inerentes".

"Sem um mercado global de emissão os custos serão bem mais altos", alertou.

Jorge Moreira da Silva falava à margem da conferência-diálogo "União da Energia", em Lisboa, que contou com a participação do vice-presidente da Comissão Europeia responsável pela União da Energia, Maros Sefcovic.

 

 

 

 

Lusa

 

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.