sicnot

Perfil

Economia

Varoufakis admite demissão do governo caso o "sim" ganhe

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, disse hoje à rádio australiana que o seu governo poderá demitir-se no caso da vitória do "sim" no referendo do próximo domingo, mas que dialogará com os sucessores.  

Virginia Mayo

"Podemos demitir-nos, mas fá-lo-emos em espírito de cooperação com os que vierem", declarou Varoufakis, numa entrevista à rádio pública australiana ABC.

No referendo do próximo domingo, os gregos vão ser consultados sobre se aceitam ou não os termos propostos pelos credores (Fundo Monetário Internacional, União Europeia e Banco Central Europeu) para manter o financiamento ao país.

 

Lusa

  • Lagarde diz que referendo vai clarificar a posição dos gregos no futuro
    1:00

    Economia

    A diretora-geral do FMI considerou, esta noite, que o referendo vai tornar mais claras as negociações futuras com os gregos. Na primeira entrevista que deu, depois de oficialmente a Grécia ter falhado o pagamento ao FMI, ainda há nem 24 horas, Christine Lagarde disse que nos últimos dias tem havido tanta discussão que já nem sabe qual foi a última proposta do governo grego.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.