sicnot

Perfil

Economia

Líder do PS recusa especular eventual subida do défice em 2014

Líder do PS recusa especular eventual subida do défice em 2014

O secretário-geral do PS, António Costa, recusou hoje fazer especulações sobre as notícias que apontam para um agravamento do défice de 2014 em 6% devido à venda do Novo Banco e disse querer esperar pelo resultado final.

"Desde o primeiro minuto que tenho chamado a atenção de que foi uma precipitação o Governo e o Banco de Portugal terem garantido, à partida, que não haveria custos para os contribuintes. Não quero dizer nada neste momento que possa dificultar a negociação por parte do Estado", salientou o líder socialista aos jornalistas.

António Costa reagia à notícia do semanário Expresso segundo a qual a venda do Novo Banco pode levar "o défice do ano passado aos 6%". 

Segundo o jornal, o valor em causa depende do preço final de venda do banco que será negociado nas próximas semanas. O Fundo de Resolução injetou 4,9 mil milhões de euros no Novo Banco e a melhor proposta mais em cima da mesa ronda os 4,2 mil milhões de euros. 

"Não vamos especular, aguardemos serenamente pelos resultados finais, temos que desejar é que seja possível ao Estado poder fazer a melhor venda possível. Não vamos fazer previsões nem especulações, deixemos este processo chegar ao fim e nessa altura as contas serão feitas", salientou. 

Para o líder do PS, aquilo que se pode se desejar é que "o acordo seja o melhor possível para o Estado e que tenha o menor custo possível para a economia e para os contribuintes".

O secretário-geral socialista falava aos jornalistas à margem de uma visita às obras do Túnel do Marão, na zona de Amarante, distrito do Porto.

 

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.