sicnot

Perfil

Economia

Bolsa de Nova Iorque recomeçou operações após três horas de suspensão

A bolsa de Nova Iorque recomeçou as operações às 15:10, hora local (20:10 em Lisboa), depois de uma suspensão de mais de três horas, devido a problemas técnicos não especificados.

© Lucas Jackson / Reuters

A suspensão aconteceu às 11:32, hora local (16:32 em Portugal continental), mas as transações eletrónicas e as plataformas alternativas continuaram a funcionar.

De acordo com o canal financeiro da televisão CNBC, os terminais da bolsa de Nova Iorque recomeçaram a aceitar ordens com um ritmo muito lento, a menos de uma hora do fecho da sessão.

Quando se reiniciaram as operações, e as transações, o Dow Jones Industrial, o principal indicador, baixava 1,14 %, até aos 17.573,93 pontos, enquanto o S&P 500 caía 1,32 %, até aos 2.053,79.

Tanto o Dow Jones como o S&P 500 incluem títulos da NYSE e do mercado Nasdaq, que não sofreram interrupções e que funcionam noutras instalações, em Times Square.

O índice composto do mercado Nasdaq baixava 1,52 %, até aos 4.921,50, quando foram retomadas as operações na bolsa de Nova Iorque.

As quebras são consequência das descidas bolsistas da China e da crise financeira da Grécia.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.