sicnot

Perfil

Economia

Reunião decisiva para Atenas e zona euro hoje em Bruxelas

Os ministros das Finanças da zona euro reúnem-se hoje, em Bruxelas, num encontro decisivo sobre a Grécia, já que, em função das conversações, será decidido ou um terceiro "resgate" ou o chamado "Grexit", a saída da zona euro.

© Laszlo Balogh / Reuters

Depois de meses de negociações e de uma sucessão de reuniões de emergência nas últimas semanas, ao nível de ministros das Finanças mas também de chefes de Estado e de Governo, este será o fim de semana decisivo, estando previstas cimeiras extraordinárias da zona euro e da UE a 28 para domingo, que deverão ou aprovar um acordo alcançado no Eurogrupo ou tomar as decisões com vista a um "Grexit", cenário para o qual a Comissão Europeia admitiu já ter um "plano detalhado".

No entanto, as partes parecem ter-se aproximado desde o polémico referendo do domingo passado - e que se saldou numa clara vitória do "não" à última proposta colocada em cima da mesa pelas instituições -, tendo o Governo grego, agora já sem Yanis Varoufakis na pasta das Finanças (foi substituído por Euclides Tsakalotos), apresentado na quarta-feira um pedido de ajuda para três anos, e na quinta à noite as suas propostas de reformas, com as quais espera alcançar finalmente um acordo com os credores.

Na reunião de hoje do Eurogrupo, com início marcado para 15:00 locais (14:00 de Lisboa), as instituições -- Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional -- começarão por dar conta, aos ministros das Finanças da zona euro, entre os quais Maria Luís Albuquerque, da análise que fizeram, ao longo de sexta-feira, do pacote de medidas proposto por Atenas, seguindo-se então uma discussão que se prevê longa, e desta vez decisiva.

O novo pacote de reformas, que poderá desbloquear um acordo e evitar a saída da Grécia do euro (o chamado "Grexit"), propõe várias medidas que vão ao encontro das exigências dos credores, com o objetivo de aumentar as receitas públicas, em troca de ajuda financeira a três anos.

Uma das questões que parece mais dividir Estados-membros e as próprias instituições é a de uma eventual reestruturação da dívida grega -- que representa cerca de 180% do Produto Interno Bruto, ou seja, quase o dobro da riqueza produzida no país -, já considerada necessária pelo FMI, mas que merece a oposição da Alemanha, entre outros.

Para domingo estão agendadas cimeiras do euro e da UE, tendo lugar na segunda-feira uma reunião ordinária do Eurogrupo, para a qual está prevista a eleição do presidente do fórum - cargo ao qual concorrem o atual presidente, Jeroen Dijsselbloem, e o espanhol Luis de Guindos - e uma discussão sobre a Grécia, restando saber em que moldes decorrerá essa discussão, se já numa perspetiva do terceiro programa de assistência; se de uma zona euro reduzida a 18 membros e de uma ajuda humanitária de emergência a Atenas.  

Lusa

  • Parlamento grego dá luz verde às reformas de Tsipras

    Economia

    Apesar da maioria ter aprovado o documento, a votação ficou marcada pelo voto contra de 32 deputados e ainda por 8 abstenções, incluindo a do presidente do Parlamento e do ministro da Energia. Estiveram ainda ausentes da votação 7 elementos da coligação no poder.

  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Trump volta a apelar ao fim do programa nuclear de Pyongyang
    1:43

    Mundo

    Donald Trump voltou a apelar à Coreia do Norte para que abandone o programa nuclear e opte pela via do diálogo. O Presidente dos Estados Unidos chamou à Casa Branca, para uma reunião extraordinária, todos os senadores norte-americanos para serem informados sobre a atual crise com a Coreia do Norte.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.