sicnot

Perfil

Economia

Supremo Tribunal de Justiça confirma condenação do Santander a devolver dinheiro de Swap

O Supremo Tribunal de Justiça confirmou esta terça-feira a nulidade de um contrato Swap celebrado entre o Santander Totta e a Fábrica de Papéis dos Cunhas. O Supremo confirma assim a decisão tomada no início do ano de condenar o banco ao pagamento de quase 2,5 milhões de euros à empresa da Lousada.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Andrea Comas / Reuters

O banco já não pode recorrer, mas, ao que a SIC apurou, está a ponderar pedir a uniformização de jurisprudência. Na prática, trata-se de um pedido de clarificação ao tribunal, uma vez que o mesmo Supremo decidiu em sentido diferente noutros dois casos que envolviam Swap do Santander.

O contrato Swap em causa, nesta decisão, foi considerado especulativo e nulo, uma vez que não tinha associado um contrato de empréstimo, como é habitual.

  • Santander condenado a devolver dinheiro de contrato Swap
    1:57

    Economia

    O banco Santander foi condenado a pagar mais de dois milhões de euros a uma empresa de Lousada. O Supremo Tribunal de Justiça confirmou uma decisão que já tinha sido tomada pela relação. Em causa estão 3 contratos Swap, considerados especulativos e tóxicos, que prejudicaram a empresa de produção de papel.

  • A estreia de Centeno como líder do Eurogrupo
    1:56
  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes