sicnot

Perfil

Economia

Taxas cobradas nos aeroportos vão subir em média 2,93% no próximo ano

As taxas cobradas nos aeroportos vão subir em média 2,93% no próximo ano. É esta a proposta da ANA, a empresa que gere as aeroportos, que justifica a subida com os investimentos que terá de fazer nos próximos quatro anos para dar resposta ao aumento de tráfego e que estão avaliados em mais de 250 milhões de euros.

Assim, a ANA propõe um aumento de cerca de 4,5% no aeroporto de Lisboa e de 1,5% no Porto. Em Faro, a subida deverá ser de 1% e de 0,7% nos Açores. Para os aeroportos da Madeira está prevista uma redução de 1% nas taxas.


No comunicado, a empresa garante que apesar dos aumentos os valores cobrados nos aeroportos nacionais vão continuar a ser inferiores aos praticados nos aeroportos europeus comparáveis.


A proposta da ANA está já em fase de consulta pública, que durará dois meses. Será depois avaliada pelo regulador. Só entrará em vigor no arranque do ano, se a Agência Nacional de Aviação Civil der luz verde às subidas.

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.