sicnot

Perfil

Economia

Preços em Portugal sobem 0,8% em julho face ao mesmo mês de 2014

A taxa de inflação em julho, medida pelo Índice de Preços no Consumidor (IPC), registou uma variação de 0,8% face ao mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

REUTERS

A variação homóloga dos preços em julho foi igual à registada em junho.

Desde março que a variação homóloga dos preços em Portugal voltou a registar variações positivas, depois de um longo período em que os preços, em termos homólogos, registavam variações nulas ou negativas, em linha com os dados da inflação a nível europeu.

Segundo os dados do INE divulgados hoje, a variação mensal do IPC em julho foi de -0,7% (-0,1% em junho).

Já a variação média dos últimos doze meses foi 0,1%, quando em junho tinha sido nula.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português, que permite comparar a evolução dos preços a nível europeu, registou uma variação homóloga de 0,7% (0,8% no mês anterior), superior em 0,5 pontos percentuais à estimada pelo Eurostat para a área do euro.

Segundo o INE, o comportamento dos preços em julho foi semelhante ao do mês anterior, destacando-se apenas a redução da taxa de variação homóloga da classe dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e os aumentos nas classes do vestuário e calçado e dos acessórios para o lar, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação.

O agregado relativo aos produtos alimentares não transformados teve em julho um aumento homólogo de 2,6% (3,3% no mês anterior) enquanto o índice dos produtos energéticos caiu 2% (acima da descida de 1,2% em junho).

A classe com maior contribuição negativa para a variação homóloga do IPC foi, tal como no mês anterior, a do vestuário e calçado, com uma variação homóloga negativa de 2,9% (inferior à queda de 3,4% em junho).

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.