sicnot

Perfil

Economia

Varoufakis diz que programa de resgate à Grécia não vai funcionar

O antigo ministro das Finanças da Grécia Yanis Varoufakis considerou hoje que o programa que sustenta o terceiro resgate financeiro não vai funcionar, apesar de o primeiro-ministro grego se mostrar "confiante" na aplicação do programa.

Num anúncio surpreendente, horas apenas após o anúncio dos resultados do referendo, Yanis Varoufakis disse que abandonava o cargo de ministro das Finanças para ajudar o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, a continuar as negociações com os credores internacionais.

Num anúncio surpreendente, horas apenas após o anúncio dos resultados do referendo, Yanis Varoufakis disse que abandonava o cargo de ministro das Finanças para ajudar o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, a continuar as negociações com os credores internacionais.

© Marko Djurica / Reuters

"Pergunte a qualquer pessoa que saiba qualquer coisa sobre as finanças gregas e vão dizer-lhe que este programa não vai funcionar", disse o antigo ministro em entrevista à BBC, mostrando-se implicitamente crítico do primeiro-ministro, Alexis Tsipras, que disse estar confiante na aplicação do acordo que visa terminar com a incerteza económica no país.

"O (actual) ministro das Finanças grego diz mais ou menos a mesma coisa", acrescentou o ex-governante, que saiu há semanas do Ministério das Finanças da Grécia, na sequência da aprovação do início das negociações, depois de um referendo ter rejeitado os termos apresentados pelos credores.

Varoufakis disse à BBC que o ministro das Finanças da Alemanha "vai ter de ir ao parlamento e confessar, na prática, que este programa não vai funcionar", e acrescentou que "o Fundo Monetário Internacional está a desesperar de forma coletiva com um programa que simplesmente está ancorado numa dívida insustentável... e no entanto este é um programa que toda a gente está a trabalhar para aplicar".

Os ministros das Finanças da zona euro, o Eurogrupo, reúnem-se na sexta-feira em Bruxelas para analisar o terceiro resgate à Grécia, depois de Atenas e as instituições credoras terem alcançado um acordo técnico.

"Eurogrupo extraordinário na sexta-feira, 14 de agosto, às 15:00 (14:00 em Lisboa) sobre a Grécia" anunciou Michel Reijns, porta-voz do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, numa mensagem na rede social Twitter.

Atenas e os credores internacionais alcançaram na terça-feira de madrugada um acordo sobre um terceiro programa de assistência financeira ao país "de cerca de 85 mil milhões de euros", anunciou o governo grego.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Incêndio num estádio em Xangai destrói parte da bancada

    Mundo

    O Estádio Hongkou da equipa chinesa Shanghai Shenhua foi atingido esta terça-feira por um incêndio que acabou por danificar parte da bancada e algumas salas no interior da infraestrutura. Para o local, foi enviada uma equipa de bombeiros que conseguiu controlar as chamas.