sicnot

Perfil

Economia

Parlamento grego reúne-se hoje para debater e aprovar terceiro plano de resgate

O parlamento grego reúne-se hoje em sessão extraordinária para se pronunciar sobre o acordo entre a Grécia e os credores que prevê um terceiro resgate financeiro, um dia antes da reunião do Eurogrupo também destinada a legitimar o programa.

Thanassis Stavrakis

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse na quarta-feira estar "confiante" na ratificação do acordo, anunciado na véspera após uma maratona negocial de mais de 20 horas com as instituições de credores internacionais -- Comissão Europeia (CE), Banco Central Europeu (BCE), Fundo Monetário Internacional (FMI) e Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEDE).

"Apesar dos obstáculos que alguns tentam colocar no nosso caminho, vamos concluir com êxito este acordo", disse Tsipras após uma reunião no ministério das Infraestruturas, antes de manifestar otimismo sobre a possibilidade de este novo pacto terminar a "incerteza económica" na Grécia.

"Vamos dececionar as Cassandras [as vozes contra] e tentar garantir êxito na reconstrução do país", assinalou.

Tsipras denunciou o aumento da corrupção na Grécia "nos últimos cinco anos" e manifestou a intenção do seu governo em estabelecer um sistema eficaz e transparente que combata as práticas corruptas e a evasão fiscal, e "os termos e condições do longo processo de recuperação da economia".

Uma das vozes mais críticas sobre este novo plano de ajustamento na Grécia, avaliado em cerca de 85 mil milhões de euros -- que se junta a dois anteriores regastes que totalizaram 240 mil milhões de euros -- tem sido Yanis Varoufakis, o ex-ministro das Finanças do Governo de coligação, no poder desde janeiro, e dominado pelo partido da esquerda radical Syriza.

"O plano não vai funcionar", disse na quarta-feira à televisão BBC World, contradizendo deste modo o primeiro-ministro.

"Perguntem aos que conhecem o estado das finanças gregas e eles dir-vos-ão que este acordo não vai funcionar", declarou à cadeia pública britânica.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.