sicnot

Perfil

Economia

PSI20 perde quase 6% influenciado pela Ásia e em linha com a Europa

O PSI20, principal índice da bolsa portuguesa, seguia hoje ao início da tarde a perder 5,5% para 5.012,56 pontos, registando o valor mais baixo desde 7 de janeiro, em linha com as principais praças europeias.

© Kim Kyung Hoon / Reuters


As fortes perdas registadas pelas bolsas de Xangai e Hong Kong estão a influenciar negativamente as principais praças europeias, com os futuros dos mercados acionistas norte-americanos a apontarem uma tendência de baixa na abertura, que acontece dentro de menos de uma hora.

Cerca das 13:37, a bolsa portuguesa derrapava mais de 5%, para os 5.012,56 pontos, o valor mais baixo desde 07 de janeiro deste ano, quando tocou nos 4.606,25 pontos, com todos os títulos no vermelho.

A Altri e a Pharol, antiga PT SGPS, lideravam as perdas, recuando mais de 7%, seguidas da Portucel, Banif, Sonae e Jerónimo Martins, que deslizavam mais de 6%.

A Galp Energia, NOS, BPI, BCP e CTT perdiam mais de 5%.

A EDP Renováveis e a Semapa eram os títulos que menos perdiam na bolsa portuguesa, embora recuassem mais de 2%, seguidas da Ren, que desvalorizava 3,0%.

A EDP, as construtoras Teixeira Duarte e Mota-Engil e a Impresa recuavam mais de 4% no início da tarde.

No seguimento da recente desvalorização do yuan pelo Banco da China, que levou à queda global das bolsas, agora a medida do Governo chinês - permitir que os fundos de pensões públicos no país pudessem adquirir (até 30%) em ações - "não teve os resultados esperados" e "aprofundou a desconfiança" dos investidores, adiantaram hoje analistas citados pela Bloomberg.

Lisboa lidera as perdas das principais praças europeias, que seguiam a perder mais de 4%.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.