sicnot

Perfil

Economia

Acionistas do Banif eliminam conselho estratégico

Os acionistas do Banif reconduziram hoje Jorge Tomé como presidente executivo do banco e eliminaram o Conselho Estratégico, segundo a informação comunicada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A assembleia-geral realizada hoje de manhã no Funchal (Madeira) elegeu os órgãos sociais para os próximos três anos, até 2017, com destaque para o Conselho de Administração, que continuará a ser liderado pelo antigo ministro Luís Amado, como presidente, e Jorge Tomé, como vice-presidente e presidente da Comissão Executiva.

Nos vogais é que se registaram algumas mudanças, com vários administradores a cessarem funções e com a entrada de Fernando Almeida, Carlos Firme, Jorge Nunes e Nuno Martins. Os últimos três, juntamente com João Sousa, integram a Comissão Executiva liderada por Jorge Tomé.

É ainda de referir que continuam a pertencer ao Conselho de Administração Issuf Ahmad e Miguel Barbosa, em representação do Estado português, uma vez que a posição estatal no banco ainda ascende a 60,53%.

O Conselho de Administração passa ainda a contar com Elsa Ramalho e Teresa Duarte, que integram igualmente a Comissão de Auditoria, em substituição de António da Silva e Tomás Vasconcellos.

Os acionistas decidiram também hoje que no próximo mandato o banco não contará com um Conselho Estratégico, sem avançar o comunicado do Banif justificação para essa decisão.

"Na medida em que se trata de um órgão consultivo e de existência facultativa não foi nomeado um Conselho Estratégico para o exercício de 2015", lê-se apenas na nota enviada ao regulador do mercado de capitais.

No último mandato, o Conselho estratégico era presidido por Maria Teresa Roque, a filha do fundador do Banif, Horácio Roque, enquanto a outra filha, Paula Cristina Roque, era uma dos vogais.

Por outro lado, foi aprovada uma Comissão de Remunerações, constituída por Miguel Sousa (presidente), Filipe Marques e Miguel Barbosa, e para a Mesa da assembleia-geral foram eleitos Guilherme Silva e José Prada, que sucedem nos cargos a Miguel Sousa e Bruno Jesus.

Quanto aos desafios que se colocam ao Banif no futuro, em declarações aos jornalistas após a reunião, hoje no Funchal, Jorge Tomé disse que quer "acelerar a reestruturação do banco", pretendendo que "até o final deste ano" esse plano seja aprovado junto da Direção-Geral de Concorrência da Comissão Europeia.

"A segunda missão é encontrar um acionista de referência para o Banif, de forma a substituir o Estado", sublinhou, admitindo que já existem "contactos há meses" com interessados na compra dessa posição e que "esse trabalho vai ter continuidade" e mesmo "acelerar".

Além do Estado, os principais acionistas do Banif são a designada Herança Indivisa de Horácio Roque, o falecido líder do banco, com 6,3%, e o grupo Auto-Industrial, com 1,8%.

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.