sicnot

Perfil

Economia

Legislação de desbloqueio de telemóveis por cumprir após cinco anos

Cinco anos depois de entrar em vigor, a lei sobre o desbloqueio de telemóveis continua por cumprir, denunciou hoje a Deco, que recebeu centenas de reclamações nos últimos anos, devidos aos valores cobrados pelas operadoras.

De acordo com um artigo da edição de setembro da Revista PROTESTE, as operadoras de rede móvel aproveitam falhas na legislação para manterem bloqueados a outras redes os equipamentos que comercializam, perante a falta de atuação da Anacom, a entidade reguladora do setor das telecomunicações, cobrando valores muito elevados para os desbloquearem.

Este ano, a Deco já recebeu 119 reclamações. Nos últimos três anos, a associação registou um total de 1.083 queixas.

A revista apresenta vários exemplos de telemóveis e dos preços praticados no mercado, assim como os valores cobrados pelas empresas e os custos para desbloquear os equipamentos.

"Aumentar a mobilidade dos consumidores e fomentar a concorrência são objetivos por cumprir", lê-se no artigo, segundo o qual estão em causa práticas penalizadoras e com custos de desbloqueio "muito elevados".

A PROTESTE afirma que para telemóveis adquiridos com obrigação de permanência, a lei proíbe a cobrança pelos operadores de contrapartidas pelo desbloqueio, findo o contrato de fidelização.

A MEO, a NOS e a Vodafone "cobram em excesso" pelo desbloqueio. "Todos aplicam no mínimo 10 euros", lê-se no texto, em que se denunciam "muitas falhas" no regime legal em vigor desde 2010.

"A lei apresenta muitas falhas, sobretudo no cálculo do valor do equipamento desbloqueado, com implicação direta no valor que pode ser cobrado pelo desbloqueio", refere a publicação.

No caso de um iPhone 6 (de 16 GB), os operadores cobram 182,48 euros, quando o consumidor deveria pagar só 19,11, na NOS e na Vodafone, e menos um cêntimo na MEO, alerta a revista, que comparou o custo do desbloqueio indicado pelas empresas com o que seria devido "se fosse considerado o preço a que, na realidade, os aparelhos são vendidos livres".

No Samsung Galaxy S6 (32 GB), a PROTEST afirma que a diferença apurada é igualmente surpreendente: "A MEO cobra 232,48 euros pelo desbloqueio, a Vodafone só menos um cêntimo e a NOS 169,98 euros", segundo as regras indicadas na página de internet.

"Se na base de cálculo fosse considerado o preço a que este equipamento é vendido em várias lojas, não pagaríamos mais de 70 euros", conclui a revista.

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.

  • "Estar na Web Summit foi dizer em empreendedorês: estamos vivos, estamos aqui!"

    Web Summit

    No seguimento da entrevista à blogger Sara Riobom, que conhecemos durante a WebSummit, trazemos a história de outro jovem português (que não trabalha sozinho) que esteve no evento, em Lisboa, a promover a sua startup. Quis o acaso e as peripécias do direto e do destino que acabasse por receber um visitante ilustre e especial no seu stand: nada mais nada menos do que o primeiro-ministro, António Costa. Recentemente estiveram no Shark Tank, onde conseguiram captar a atenção de um dos “tubarões” do programa da SIC. Mas o que queremos saber é…

    Martim Mariano