sicnot

Perfil

Economia

Dois em cada três pares de sapatos produzidos no mundo vêm da China

A produção mundial de calçado aumentou 8% em 2014, para 24 mil milhões de pares, destacando-se a China como "líder indiscutível" ao fabricar quase dois em cada três pares de sapatos, segundo dados do último World Foowear Yearbook.

© Jianan Yu / Reuters


Elaborado e distribuído em todo o mundo pela Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS), aquele que é descrito como "o mais complexo barómetro à industria de calçado a nível internacional" -- e cuja edição relativa a 2014 foi apresentada em julho na Alemanha - evidencia que a estrutura geográfica da indústria permanece "praticamente inalterada" relativamente ao passado recente.

"A nível internacional a China é o líder indiscutível, produzindo quase dois em cada três pares de sapatos vendidos no mundo", conclui o trabalho, segundo o qual a Ásia é responsável por 88% da produção mundial de calçado, sendo seis dos 10 principais produtores de calçado mundial países asiáticos.

Já a Europa assegurou, no ano passado, apenas 3% da produção mundial de calçado.

Analisando a evolução ao longo dos últimos cinco anos, assistiu-se a um aumento "significativo" da quota mundial da Ásia, que passou de 49% em 2010 para 52% em 2014, com a China a assumir aqui a liderança e a vir "consistentemente" consolidando a sua posição ao longo dos anos.

Os EUA e a Índia surgem no segundo e terceiro postos, respetivamente.

Os dados do World Foowear Yearbook para 2014 apontam também novos níveis recordes no comércio internacional de calçado, com as exportações a somarem 16 mil milhões de pares e 133 mil milhões de dólares (117,8 mil milhões de euros).

Também aqui a China consolidou a liderança "de forma esmagadora", segundo destaca a APICCAPS, sendo a origem de mais de sete em cada 10 pares de calçado exportados.

No ano passado, no 'top 15' dos principais exportadores mundiais apenas constam países asiáticos (como a China, Vietname, Hong Kong e Índia) e europeus (Itália, Bélgica, Alemanha, Países Baixos, Espanha, França, Portugal, Roménia, Eslováquia e Reino Unido).

Quanto ao preço médio de exportação por par, tem mostrado uma "tendência clara" de aumento na última década, passando de 5,97 dólares (5,29 euros) em 2004 para 8,12 dólares (7,19 euros) em 2014, o que corresponde a um crescimento de 36%.

No ano passado, contudo, e em contraciclo com esta tendência, o preço médio de exportação do calçado recuou 2%.

Entre os 15 maiores exportadores, a Itália regista o maior preço médio de exportação (50,92 dólares - 45,12 euros), seguida de Portugal (31,88 dólares -- 28,25 euros) e França (31,74 dólares - 28,13 euros).

O calçado espanhol fica-se pelo 7.º lugar da lista (com um preço médio de 22,03 dólares - 19,52 euros), ainda assim muito acima dos 4,44 dólares (3,94 euros) do par de calçado chinês.

Quanto aos preços de exportação do calçado de couro, após vários anos de crescimento caíram pela primeira vez em 2014 e atingiram os 25,16 dólares (22,29 euros) o par, o que pressionou em baixa os preços de exportação do calçado a nível geral.

Ainda assim, em 2014 o preço médio do calçado de couro foi o dobro do verificado em 2004, representando agora este tipo de calçado menos de 45% do valor das exportações totais de calçado.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.