sicnot

Perfil

Economia

Produtores de leite reclamam em Bruxelas ajudas ao setor

Produtores de leite de vários Estados-membros, incluindo Portugal, manifestam-se hoje em Bruxelas por ajudas ao setor em dificuldades, no mesmo dia em que os ministros da Agricultura dos 28 se reúnem para debater a situação do mercado.

(Arquivo)

(Arquivo)

Fernando Veludo

(Arquivo)

(Arquivo)

Fernando Veludo

A análise dos mercados dos setores agrícolas, com destaque para o do leite e da carne de porco -- nos quais a Comissão Europeia reconheceu já haver "dificuldades" -- dominam a agenda da reunião dos ministros.

Portugal e pelo menos mais três Estados-membros defendem um aumento do preço de intervenção pública no mercado, atualmente fixados nos 0,21 cêntimos.

Bruxelas, por seu lado, não quer decisões que afetem a orientação para o mercado estipulada na política agrícola comum.

Os preços pagos ao produtor têm sofrido quebras no setor do leite, com uma conjuntura marcada pelo fim das quotas de produção, um regime que terminou a 31 de março -- após 30 anos em vigor -, e pelo embargo da Rússia a produtos da UE.

No sábado, em Lamego, a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, disse apenas esperar "bons resultados" para os produtores de leite portugueses.

Na véspera, na sexta-feira, durante uma visita à AgroSemana, na Póvoa de Varzim, a ministra disse acreditar que serão encontrados mecanismos alternativos ao fim das quotas leiteiras para proteger os produtores nacionais.

"Vamos pedir à Comissão Europeia medidas de suporte para este período difícil que os produtores estão a atravessar", garantiu Assunção Cristas, afirmando que, independentemente do desfecho da reunião de hoje, serão tomadas mais medidas de apoio, nomeadamente na valorização e promoção do consumo de leite.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.