sicnot

Perfil

Economia

Ministro Poiares Maduro diz que gastronomia vale "20% do produto interno bruto"

O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional realçou hoje, no Porto, que a gastronomia "tem um valor muito próximo de 20% do produto interno bruto" de Portugal, o que "dá bem a ideia do peso económico desta área".

MIGUEL A. LOPES

Poiares Maduro falava no encerramento a cerimónia de apresentação do Manifesto CULINAR - Norte de Portugal, lançado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) com o intuito de ser "nova plataforma regional em defesa da cultura gastronómica do Norte de Portugal".

Poiares Maduro realçou que a gastronomia envolve setores como a restauração e o agroalimentar" e, por outro lado, possui "um valor económico que assenta deste logo no seu valor cultural e identitário".

"Comer não é hoje, seguramente, a mera satisfação básica de uma necessidade, mas sim um ato social", completou.

O ministro sustentou que comer tem a ver com cultura, o que, em sua opinião, "transforma a gastronomia num elemento de identidade do território do nosso país e de cada região do nosso pais e isso tem um valor enorme".

"Falar de gastronomia é também uma forma de contar a nossa história", considerou.

O ministro acrescentou ainda que "a gastronomia também pode ser vista como talvez o melhor exemplo da verdadeira competitividade económica que país deve procurar, porque é uma competitividade inteligente".

"A competitividade inteligente é que assente no território e na valorização dos seus ativos", como a sua população e os seus recursos naturais. "É essa competitividade que nos diferencia no mundo global e é essa diferença que nos dá valor", continuou.

Poiares Maduro destacou que "o manifesto CULINAR ali a tradição à inovação e o conhecimento ao território".

"Só com tradição não se evolui e não se surpreende, não se reforça a qualidade e não se renova, mas uma inovação desligada do território também é inconsequente", afirmou.

O presidente da CCDR-N, Emídio Gomes, realçou que o manifesto CULINAR surgiu para ser "um fórum agregador de muita gente e de muitas entidades que já fazem coisas notáveis" na área gastronómica.

"Queremos criar condições para uma região cheia de estrelas e, para isso, estamos empenhados num grande esforço para prosseguir no desenvolvimento de investigação aplicada, de transferência de tecnologia e de formação especializada", frisou o presidente da CCDR-N, Emídio Gomes, numa declaração sobre a iniciativa enviada à agência Lusa.

"A necessidade de preservação e potenciação de recursos naturais e o compromisso com princípios de sustentabilidade e autenticidade" estão entre os principais objetivos inscritos no documento.

O CULINAR ambiciona "fazer do Norte de Portugal uma das regiões de excelência a nível mundial" e criar até uma marca, tirando partido dos seus vinhos, gastronomia e os produtos locais.

O manifesto como primeiros subscritores os chefes Rui Paula, Pedro Lemos, Ricardo Costa, Renato Cunha e o brasileiro Felipe Rameh e por Emídio Gomes e Poiares Maduro.

Lusa

  • Poiares Maduro em entrevista
    11:04

    Opinião

    A cimeira europeia e a crise dos refugiados em análise. Miguel Poiares Maduro, ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional foi o convidado da Edição da Noite.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.