sicnot

Perfil

Economia

Taxa de desemprego homóloga desce em agosto na zona euro e Portugal acompanha

A taxa de desemprego na zona euro e na União Europeia (UE) baixou para os 11,0% e os 9,5% em agosto, face ao mês homólogo de 2014, uma tendência acompanhada por Portugal (12,4%), divulgou hoje o Eurostat.

Reuters

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, a taxa de desemprego na zona euro e na UE manteve-se estável em agosto, face a julho, enquanto em Portugal subiu 0,1 pontos percentuais.

O desemprego baixou 0,5% na zona euro, 0,6% na UE e 1,2% em Portugal, na comparação homóloga.

As taxas de desemprego mais baixas registaram-se, em agosto, na Alemanha (4,5%), na República Checa (5,0%) e em Malta (5,1%), enquanto as mais elevadas foram assinaladas na Grécia (25,2%, em junho) e em Espanha (22,2%).

Na comparação homóloga, a taxa de desemprego recuou em 20 Estados-membros, aumentou noutros quatros e estabilizou na Roménia, tendo as maiores quebras sido assinaladas na Estónia (de 8,0% para 5,7%, entre julho de 2014 e julho de 2015), na Eslováquia (de 13,2% para 11,1%) e em Espanha (de 24,2% para 22,2%).

No que respeita ao desemprego jovem, a taxa registada foi de 22,3% na zona euro e de 20,4% na UE, em baixa face aos 23,6% e aos 21,9%, respetivamente, de agosto de 2014.

Em Portugal, a taxa de desemprego homóloga entre os trabalhadores com menos de 25 anos baixou de 33,2% para 31,8%.

Espanha (48,8%), Grécia (48,3%, em junho), Croácia (43,5% no segundo trimestre de 2015) e Itália (40,7%) registaram as taxas de desemprego juvenil mais altas e a Alemanha (7,0%), a Áustria (10,8%), a Holanda (11,2%) e a Dinamarca (11,4%) as mais baixas.

O Eurostat estima que em agosto de 2015, estavam desempregadas 23.022 milhões de pessoas, das quais 17.603 milhões na zona euro

  • Enfermeiros especialistas em saúde materna retomam protesto 

    País

    Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia voltam quinta-feira de manhã a interromper as funções especializadas, o que pode afetar blocos de parto e maternidades. Queixam-se de "falta de resposta política adequada" e "ausência de acordos sérios".

  • Reis de Espanha enviam mensagem para funeral das vítimas portuguesas
    0:52
  • Cristas vaiada em bairro de Chelas
    1:44

    Autárquicas 2017

    Assunção Cristas promete mudanças na Gebalis, a empresa municipal que gere os bairros sociais em Lisboa. Esta manhã, a candidata do CDS à câmara visitou um bairro de Chelas, onde foi vaiada por alguns populares.

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • "Em vez de ajudarem, estavam a tirar fotos dela a morrer"
    1:13