sicnot

Perfil

Economia

Despedimentos na Somague são "a prova de que construção continua em crise", diz sindicato

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção, Albano Ribeiro, afirmou hoje que o despedimento de 273 trabalhadores da Somague é a prova de que o setor continua em crise, adiantando que "a empresa não tinha outra solução".

(SIC/ Arquivo)

"Este despedimento coletivo é a prova de que o setor continua em crise e, se não forem tomadas medidas a curto prazo, outras empresas terão que seguir o mesmo caminho", alertou o dirigente sindical, reagindo ao despedimento coletivo de 273 trabalhadores pela Somague.

Em declarações à Lusa, Albano Ribeiro explicou que "as empresas não têm outra solução dada a situação factual", precisando que a Somague teve 250 trabalhadores durante mais de um ano em casa, à espera do lançamento de novas obras, com um custo mensal de 150 mil euros.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção, que reuniu com os Recursos Humanos da Somague, "mais empresas estão a aguentar e, face à inexistência de novos projetos, terão que recorrer a despedimentos coletivos".

A Somague vai despedir 273 trabalhadores no âmbito de uma reestruturação do grupo de construção e obras públicas, motivada pela retração do mercado da construção nos países onde opera, nomeadamente Angola, Moçambique e Brasil.

Fonte oficial da Somague confirmou à Lusa que o despedimento coletivo de 273 trabalhadores se deve à reestruturação do grupo, que opera num mercado que tem sofrido "uma queda enorme e continuada".

Para fazer face à queda no mercado nacional, o grupo apostou na expansão internacional, para países de língua oficial portuguesa, sobretudo Angola, Moçambique e Brasil, que entretanto também viram as suas economias afetadas.

De acordo com a mesma fonte, "o setor da construção sofreu também uma paragem significativa nestes mercados, o que obrigou a ajustar a estrutura à nova realidade".

Os trabalhadores abrangidos pelo despedimento coletivo, transversal a toda a estrutura da empresa, tomaram esta manhã conhecimento da decisão.

No final de dezembro de 2014, o grupo Somague empregava 2.330 trabalhadores, número que se mantinha estável face ao ano anterior, refere o relatório e contas.

Angola foi o principal mercado da Somague em 2014, que tem vindo a sofrer com a crise do petróleo, enquanto o Brasil tem vindo a ganhar cada vez mais peso na carteira da construtora.

Segundo o relatório e contas, em 2014, a carteira da construtora foi a maior "de sempre", alcançando os 1.110 milhões de euros.

Lusa

  • "Serei o Presidente de todos os angolanos"
    2:06
  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Supervisão bancária origina novo diferendo entre Carlos Costa e Governo
    0:57

    Economia

    Reacendeu-se a guerra entre o Governo e o governador do Banco de Portugal. Em conferência na sede do banco, esta segunda-feira, Carlos Costa deixou uma crítica indireta ao novo modelo de supervisão bancária. O ministro das Finanças, Mário Centeno, não gostou e exigiu a Carlos Costa que se retratasse, mas o governador recusou-se.

  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.