sicnot

Perfil

Economia

Milhares contestam medidas de austeridade na Bélgica

galeria de fotos

Entre 80.000, segundo a polícia, e 100.000 pessoas, segundo os sindicatos, desfilaram hoje desfilaram hoje na capital belga em protesto contra as medidas de austeridade do governo conservador de Charles Michel, tendo havido confrontos com as autoridades.

© Yves Herman / Reuters

© Yves Herman / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Yves Herman / Reuters

© Yves Herman / Reuters

Segundo um canal de televisão belga, registaram-se alguns incidentes entre a polícia e estivadores vindos de Antuérpia, um dos principais portos europeus.

A manifestação foi acompanhada por uma greve, que perturbou nomeadamente o setor dos transportes públicos e o funcionamento das escolas.

Para sexta-feira, está já convocada uma greve ferroviária.

Os manifestantes contestam o aumento da idade da reforma para os 66 anos, em 2025, e os 67, em 2030, face aos atuais 65, decidido em julho.

Em causa está ainda a intenção do primeiro-ministro de reformar o regime fiscal, com o objetivo de equilibrar as contas públicas, nomeadamente reduzindo o custo dos salários.

A subida da taxa de IVA de 6% para 21% na eletricidade e a intenção de aumentar o imposto sobre o consumo no gasóleo, tabaco, álcool e bebidas gasosas estão também entre as medidas contestadas.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.