sicnot

Perfil

Economia

Milhares contestam medidas de austeridade na Bélgica

galeria de fotos

Entre 80.000, segundo a polícia, e 100.000 pessoas, segundo os sindicatos, desfilaram hoje desfilaram hoje na capital belga em protesto contra as medidas de austeridade do governo conservador de Charles Michel, tendo havido confrontos com as autoridades.

© Yves Herman / Reuters

© Yves Herman / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

© Yves Herman / Reuters

© Yves Herman / Reuters

Segundo um canal de televisão belga, registaram-se alguns incidentes entre a polícia e estivadores vindos de Antuérpia, um dos principais portos europeus.

A manifestação foi acompanhada por uma greve, que perturbou nomeadamente o setor dos transportes públicos e o funcionamento das escolas.

Para sexta-feira, está já convocada uma greve ferroviária.

Os manifestantes contestam o aumento da idade da reforma para os 66 anos, em 2025, e os 67, em 2030, face aos atuais 65, decidido em julho.

Em causa está ainda a intenção do primeiro-ministro de reformar o regime fiscal, com o objetivo de equilibrar as contas públicas, nomeadamente reduzindo o custo dos salários.

A subida da taxa de IVA de 6% para 21% na eletricidade e a intenção de aumentar o imposto sobre o consumo no gasóleo, tabaco, álcool e bebidas gasosas estão também entre as medidas contestadas.

Lusa

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00