sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a subir a 2, 5 e 10 anos

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a subir em todos os prazos, em relação aos valores de terça-feira, no dia em que Portugal regressou ao mercado com a emissão 1.150 milhões de euros de dívida a curto prazo.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Cerca das 8:35 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a subir para 2,471%, contra 2,413% na terça-feira, e depois de terem subido até aos 3,253% a 15 de junho, um máximo desde meados de outubro de 2014.

O mínimo de sempre é de 1,560% e foi registado a 13 de março passado.

Os juros a cinco anos também estavam a subir, para 1,175%, contra 1,138% no fecho de terça-feira, depois de terem atingido o máximo de 1,927% a 16 de junho e o mínimo de 0,749% a 10 de abril.

No mesmo sentido, no prazo de dois anos, os juros estavam a subir para 0,294%, acima dos 0,276% de terça-feira, depois de a 08 de julho terem batido o máximo, de 0,807%, desde outubro.

O mínimo de sempre dos juros a dois anos, de 0,013%, foi alcançado a 13 de abril passado.

Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 8:35:

2 anos... 5 anos... 10 anos

Portugal

21/10....0,294.....1,175....2,471

20/10....0,276.....1,138....2,413

Grécia

21/10......8,275....n disp....7,733

20/10......7,788....n disp....7,515

Irlanda

21/10......-0,158....0,344.....1,210

20/10......-0,155....0,338.....1,217

Itália

21/10......0,099.....0,688....1,659

20/10......0,100.....0,685...1,661

Espanha

21/10......0,093......0,821....1,803

20/10......0,083......0,816....1,807

Fonte: Bloomberg Valores de 'bid' (juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida) que compara com fecho da última sessão.

Lusa

  • Portugal regressa hoje aos mercados

    Economia

    Portugal regressa hoje ao mercado para emitir até 1.250 milhões de euros, através de dois leilões de Bilhetes de Tesouro a três e a 11 meses, segundo a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública.

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.