sicnot

Perfil

Economia

Número de desempregados em Espanha abaixo dos 5 milhões pela 1ª vez desde 2011

O número de desempregados em Espanha desceu no terceiro trimestre do ano para 4,85 milhões de pessoas, abaixo dos cinco milhões pela primeira vez desde o mesmo trimestre de 2011, indicou hoje o Instituto Nacional de Estatística espanhol.

Reuters

Reuters

© Andrea Comas / Reuters

De acordo com o Inquérito de População Ativa divulgado hoje pelo INE espanhol, a taxa de desemprego no país desceu 1,2 pontos percentuais só no meses de julho, agosto e setembro, ficando agora nos 21,18%. Tal como no caso do número total de pessoas sem emprego, também a taxa de desemprego está em valores de 2011.

O número de pessoas com ocupação em Espanha também subiu. No terceiro trimestre criaram-se mais 182,2 mil postos de trabalho, elevando o total para 18,04 milhões de empregados. Também é necessário recuar a 2011 para encontrar valores acima dos 18 milhões.

Ainda assim, analisando os números desde que o atual Governo entrou em funções (dezembro de 2011), o executivo de Mariano Rajoy - que em menos de dois meses enfrenta eleições gerais - deixa menos 100 mil pessoas empregadas do que há quatro anos.

Os dados do INE também indicam que a subida do emprego neste trimestre assenta no aumento do emprego temporário. Entre julho e setembro, criaram-se 205 mil empregos temporais.

Por outro lado, a taxa de temporalidade (percentagem de trabalhadores temporários face ao total da população que recebe salário) atingiu o valor mais alto em Espanha desde finais de 2008: 26,6%. Ou seja, um em cada quatro assalariados em Espanha tem um trabalho temporário.

A contribuir para a taxa de desemprego está o facto de a população ativa espanhola também ter caído no trimestre em 116 mil pessoas. O número de pessoas com idade e capacidade para trabalhar está abaixo dos 23 milhões (num total de cerca de 45 milhões de habitantes em Espanha), também o valor mais baixo desde inícios de 2008.

De acordo com dados da OCDE divulgados na segunda-feira, Espanha lidera - destacada - a lista de países com mais desemprego registado nos últimos meses. Em agosto, indicou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Espanha tinha o triplo da média de desemprego dos 34 países mais desenvolvidos e o dobro da média europeia.

No desemprego juvenil, Espanha apresenta os piores dados de toda a OCDE.

Lusa

  • Apoiar o Governo "é um dever constitucional"
    0:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que apoiar o Governo é um dever constitucional do Presidente da República. Num balanço do primeiro ano em Belém, Marcelo respondeu assim a quem o acusa de andar com o Governo "ao colo".

  • Brexit só avança com aprovação parlamentar
    3:04

    Brexit

    O Supremo Tribunal britânico decidiu que o Governo precisa de ter a aprovação do Parlamento para avançar com o Brexit. A decisão foi validada por uma maioria de oito contra três juízes e justificada esta terça-feira pelo Supremo britânico. Por consequência, a libra esterlina atingiu a cotação mais alta do ano em relação ao dólar.

  • Primeira-ministra da Escócia apela ao voto contra a saída da UE
    2:25

    Brexit

    Depois da decisão do Supremo Tribunal britânico em relação ao Brexit, a primeira-ministra da Escócia veio pedir aos deputados que votem contra a saída da União Europeia. Nicola Sturgeon vai apresentar uma moção no Parlamento escocês para que este se pronuncie sobre o Brexit.

  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.

  • As propostas Chanel para a próxima estação
    1:34

    Mundo

    Um dos desfiles mais aguardados do mundo da moda aconteceu esta segunda-feira, em Paris, com as propostas da casa Chanel para a próxima estação primavera/verão. No final do desfile, e pela primeira vez em 30 anos, Karl Lagarfeld não deu nenhuma entrevista à comunicação social.