sicnot

Perfil

Economia

Crise do petróleo tirou 38 milhões de dólares de divisas por dia à banca angolana

Os bancos angolanos compraram menos 38 milhões de dólares de divisas por dia em setembro, uma quebra de quase 40 por cento face ao mesmo mês de 2014, devido à crise da cotação do petróleo.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© SIPHIWE SIBEKO / Reuters

De acordo com dados do relatório mensal do Banco Nacional de Angola (BNA) sobre o mercado de divisas, as vendas diretas da instituição aos bancos comerciais totalizaram em setembro 1.590,29 milhões de dólares (1.440 milhões de euros), o que até representou um aumento, de 37,7%, face a 2014.

Contudo, as divisas que os bancos comerciais compram diretamente aos clientes afundaram no mesmo período mais de 85%, para apenas 268,28 milhões de dólares (243 milhões de euros) em setembro último, comprovando assim a falta de moeda estrangeira nos clientes, segundo dados compilados pela Lusa.

Angola vive uma crise financeira e económica devido à quebra da cotação do barril de crude no mercado internacional, o que por sua vez fez diminuir a entrada de divisas no país, necessárias para garantir nomeadamente as importações de alimentos, máquinas e matéria-prima.

No total, os bancos comerciais tiveram acesso a 62 milhões de dólares (56,1 milhões de euros) em divisas por dia em setembro, quando há um ano, antes da crise do petróleo, esse valor rondava os 100 milhões de dólares (90,6 milhões de euros), representando uma quebra homóloga de 37,8%.

A situação económica e financeira em Angola está a obrigar o BNA a fazer "vendas de divisas direcionadas" aos bancos, "para satisfazer as operações definidas como prioritárias, pelo Executivo, num contexto de diminuição das disponibilidades cambiais e elevado risco de desequilíbrio do referido mercado, face à redução dos 'stocks' alimentares e de matérias-primas bem como riscos de paralisação dos serviços essenciais ao funcionamento da economia".

Tal como nos últimos meses, mantêm-se as dificuldades no acesso a moeda estrangeira nos bancos, com o mercado paralelo, de rua, a apresentar taxas de câmbio a rondar os 200 kwanzas (1,3 euros) por cada dólar - em queda face a semanas anteriores - para compra de moeda estrangeira.

A falta de divisas, em função da procura, continua a dificultar, por exemplo, as necessidades dos cidadãos que precisam de fazer transferências para o pagamento de serviços médicos ou de educação no exterior do país ou que viajam para o estrangeiro.

No mês de setembro, o BNA definiu vendas direcionadas e prioritárias no valor de 1.229,27 milhões de dólares (1.113 milhões de euros). O setor petrolífero liderou este total, garantindo 264,47 milhões de dólares (239 milhões de euros), seguido da aquisição de bens alimentares ao exterior, com 171,58 milhões de dólares (155 milhões de euros), e das telecomunicações, com 169,34 milhões de dólares (153 milhões de euros).

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.