sicnot

Perfil

Economia

Greve na Lufthansa já provocou anulação de 520 voos

A greve de pessoal de cabine da Lufthansa continua hoje nos aeroportos de Frankfurt e de Dusseldorf e já resultou na anulação de 520 voos, afetando cerca de 58 mil passageiros, segundo a companhia aérea alemã.

(arquivo)

(arquivo)

© Ralph Orlowski / Reuters

Os voos suprimidos são de curto e médio curso, já que as ligações de longo curso foram mantidas, com exceção do voo entre Dusseldorf e Newark, nos EUA, indicou uma porta-voz da Lufthansa em Frankfurt.

Cerca de 1.600 quartos de hotel foram reservados pela companhia aérea para a noite de sexta-feira para hoje, principalmente em Frankfurt, de modo a possibilitar o alojamento dos passageiros, enquanto cerca de meia centena de viajantes tiveram de passar a noite em zona de trânsito, devido à falta de visto para entrar em território alemão, precisou a mesma fonte.

Hoje é o segundo dia da greve que deverá prolongar-se até 13 de novembro, com algumas pausas, pois o sindicato de pessoal de cabine UFO anunciou a suspensão da paralisação no domingo, já que "neste dia, a maior parte das viagens são de carácter privado".

As negociações entre a transportadora aérea e os delegados de pessoal de navegação, iniciadas em dezembro de 2013, centram-se em questões relacionadas com os salários, mas também com a proteção contra os despedimentos ou as reformas e as pré-reformas, definidas por convenções coletivas.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.