sicnot

Perfil

Economia

Audi Portugal imune ao escândalo da Volkswagen aumenta vendas

O responsável máximo da Audi em Portugal, Licínio Almeida, afirmou hoje que a questão da manipulação das emissões do grupo Volkswagen não está a afetar a marca, tanto em termos de imagem como de vendas.

© Dado Ruvic / Reuters

© Dado Ruvic / Reuters

Licínio Almeida, diretor-geral da Audi e da SIVA (que integra também as marcas Volkswagen e Skoda), disse na apresentação da nova geração do modelo A4, carro e carrinha, que "existe muito ruído à volta do assunto" mas que os consumidores em Portugal "não demonstraram qualquer perturbação, dúvida ou desconfiança" em relação aos carros Audi.

Para o responsável, os modelos Audi "são fantásticos, seguros e confortáveis" e tal demonstra-se nas vendas da marca alemã em Portugal, que subiram 24,1% entre setembro e outubro deste ano, exatamente no período temporal em que rebentou o escândalo das emissões poluentes.

A Audi vendeu 711 carros em setembro e 883 durante outubro deste ano, mais 24,1% e comparando com outubro do ano passado, o aumento das vendas passa para 39,7%.

Em termos acumulados, de janeiro a outubro, as vendas da Audi subiram 20,5%, passando das 6.701 unidades em 2014 para os 8.077 carros em 2015.

Licínio Almeida voltou a frisar que o assunto "está a ser resolvido pelo grupo Volkswagen na Alemanha", adiantando que da parte da Audi em Portugal, os seus clientes têm estado a par de toda a informação.

"O que notamos nos nossos clientes é que não há desconfiança, há sim desinformação e confusão e o grupo Volkswagen tem tentado de tudo para dar a informação correta", sublinhou.

Ao lançar hoje a nova geração dos modelos A4 e A4 Avant, Licínio Almeida acredita que, como no passado, os dois modelos vão ser fundamentais para o desempenho da marca em 2016, onde espera vender mais de 3.000 unidades.

"O modelo A4 tem sido um pilar para a organização da Audi", explicou, adiantando que esta tipologia de carro existe há mais de 40 anos e que "permitiu fazer crescer a marca Audi para nível mundial, representando 20% a 25% das vendas".

Lusa

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06
  • Menos casos de sida em Portugal
    1:44