sicnot

Perfil

Economia

Mota Soares diz que PS tem de explicar financiamento das pensões e redução da TSU

Mota Soares diz que PS tem de explicar financiamento das pensões e redução da TSU

O ministro do Emprego e Segurança Social diz que a esquerda enganou os portugueses em matéria de pensões, durante a campanha eleitoral. Pedro Mota Soares diz que o PS tem de explicar ao país como vai compensar as medidas que tiram receitas à segurança social.

  • PS vai mesmo reduzir TSU dos trabalhadores

    Novo Governo

    O PS pretende reduzir a Taxa Social Única dos trabalhadores que ganham até 600 euros mensais em 1,33 pontos percentuais ao ano, até 2019, apurou a SIC. A TSU a cargo dos patrões será estudada por todos os partidos da esquerda.

  • PS quer aumentar pensões até 628 euros com base na inflação
    2:43

    Economia

    O PS vai aumentar todas as pensões até 628 euros com base na inflação - o preço médio dos bens e serviços. Assim, no próximo ano, uma pensão de 628 euros terá um aumento de quase 2 euros. A SIC sabe também que os socialistas vão baixar as contribuições para a Segurança Social para os trabalhadores que ganham até 600 euros. Em quatro anos, a TSU vai baixar de 11 para 7%.

  • Pensões, salário mínimo e TSU, as medidas do PS ao detalhe
    2:31

    Novo Governo

    O PS vai aumentar todas as pensões até 628 euros com base na inflação. Assim, no próximo ano, uma pensão de 628 euros terá um aumento de quase dois euros. A SIC sabe também que os socialistas vão baixar as contribuições para a Segurança Social para quem ganha até 600 euros. Em quatro anos, a TSU vai baixar de 11% para os 7%.

  • Costa quer pensões atualizadas, IRS revisto e função pública aumentada
    2:41

    País

    António Costa confirmou, esta noite na SIC, medidas que quer pôr em prática no próximo ano. As pensões vão ser atualizadas, os escalões do IRS revistos e os funcionários públicos terão um aumento, a cada trimestre. A subida do salário mínimo também está no acordo à esquerda, mas a meta de 600 euros é para ser alcançada apenas no fim da legislatura.

  • "Sobre este pântano, não é possível jogar futebol seriamente na próxima época"
    4:46

    Opinião

    David Borges esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, da SIC Notícias, onde analisou as acusações do FC Porto ao Benfica, no caso dos e-mails. O comentador da SIC disse que falta saber se "tudo é verdade" e se os documentos são verdadeiros, o que compete ao Ministério Público apurar. David Borges defendeu ainda que era "bom" que a investigação decorresse de forma rápida e profunda; e não acredita que perante a polémica, se consiga jogar "futebol seriamente", na próxima época.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.