sicnot

Perfil

Economia

Custo do trabalho baixa 2,8% no 3º trimestre

O Índice de Custo do Trabalho (ICT) baixou 2,8% no terceiro trimestre, face ao mesmo período do ano passado, e depois de ter aumentado 2,6% no trimestre anterior, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo INE, para esta evolução contribuíram reduções de 2,5% nos custos salariais, de 3,9% nos outros custos do trabalho, de 3,1% nos custos médios do trabalho e de 0,5% no número de horas efetivamente trabalhadas.

No setor privado, por sua vez, o ICT terá crescido 2,5%, particularmente na Indústria (3,7%) e diminuído 9,1% nas atividades das Administrações Públicas, acrescenta o INE.

O INE conclui ainda que desde o primeiro trimestre de 2010 (excetuando o quarto trimestre desse ano, os três últimos trimestres de 2013 e o primeiro e segundo trimestres de 2015), o ICT em Portugal registou variações inferiores às observadas para a média da União Europeia.

O Índice de Custo do Trabalho (ICT), calculado pelo INE e ajustado de dias úteis, é um indicador de curto prazo da evolução dos custos suportados pela entidade patronal, por hora efetivamente trabalhada, e inclui custos salariais e outros, como contribuições para a Segurança Social, seguros de saúde, indemnizações por despedimento, entre outros.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.