sicnot

Perfil

Economia

Economia não cresce no 3º trimestre e fica aquém do esperado

A economia portuguesa apresentou uma variação nula no terceiro trimestre de 2015 face ao trimestre anterior. Ainda assim, cresceu 1,4% em relação ao mesmo trimestre de 2014, segundo a estimativa rápida das contas nacionais do Instituto Nacional de Estatística (INE).

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O INE explica que o contributo positivo da procura interna diminuiu no terceiro trimestre, "refletindo a desaceleração do investimento e, em menor grau, do consumo privado", e que a procura externa líquida registou um "contributo negativo para a variação homóloga do PIB, porém de magnitude inferior à observada no segundo trimestre".

Comparando com o trimestre anterior, o INE refere que "o contributo da procura interna foi negativo devido principalmente à redução do investimento, enquanto a procura externa líquida contribuiu positivamente, tendo as importações de bens e serviços diminuído de forma mais intensa que as exportações de bens e serviços".

O comportamento do PIB no terceiro trimestre ficou aquém do esperado, uma vez que as estimativas de departamentos de estudos económicos recolhidas pela agência Lusa apontavam para um crescimento económico homólogo a rondar os 1,8% e em cadeia perto de 0,4%.

O Governo liderado por Pedro Passos Coelho estima que a economia portuguesa tenha crescido 1,6% no conjunto deste ano, uma previsão em linha com a do Fundo Monetário Internacional (FMI), mas mais conservadora do que a da Comissão Europeia e da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE), que estimam que a economia cresça 1,7% este ano.

Com Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.