sicnot

Perfil

Economia

Bancos continuam com "riscos significativos" dadas as taxas de juros baixas - BdP

Os bancos continuam a ter "desafios e riscos significativos", particularmente no atual enquadramento de "reduzidos níveis de taxas de juro nominais", pelo que devem estar preparados e devidamente provisionados, refere o Relatório de Estabilidade Financeira do Banco de Portugal.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Dado Ruvic / Reuters

Segundo o documento divulgado hoje, as instituições financeiras devem estar preparadas para o risco do país, que teria impacto no custo de financiamento da economia, e que para minimizar esse risco, os bancos devem emitir dívida de médio e longo prazo.

"Avolumam-se os riscos para a estabilidade financeira decorrentes de uma reversão desse comportamento" de 'search for yield'", ou, por outras palavras, os bancos devem procurar ativos com maiores remunerações devido ao ambiente de manutenção de taxas de juro muito baixas, indica o comunicado do Banco de Portugal (BdP).

É que, segundo o BdP, "um ambiente de baixas taxas de juro nominais pode favorecer a tomada excessiva de risco, a sobrevalorização dos ativos e a compressão da rendibilidade das instituições financeiras", pelo que, face a estes riscos, os bancos devem prosseguir a "reafectação do crédito".

Ou seja, o crédito deverá ser direcionado "a mutuários com maior qualidade creditícia, em detrimento de mutuários sem viabilidade económica", sendo "essencial" que, na avaliação de novos créditos, quer a particulares quer a empresas, sejam adotados critérios prudentes, privilegiando a capacidade de geração de rendimento futuro, inclusive em cenários diversos do atual", aconselha o Relatório.

Além disso, o supervisor financeiro alerta que a economia portuguesa "mantém-se particularmente sensível a desenvolvimentos nos mercados financeiros internacionais" e este fator "assume especial importância dado o ainda elevado endividamento" da economia no exterior.

Pelo que, o relatório aconselha a necessidade de continuar "os processos de consolidação orçamental e de desalavancagem de famílias e empresas", um fator "essencial para a estabilidade financeira de Portugal", principalmente devido a uma subida futura das taxas de juro "e ao decorrente aumento do serviço da dívida".

Lusa

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".