sicnot

Perfil

Economia

Bancos continuam com "riscos significativos" dadas as taxas de juros baixas - BdP

Os bancos continuam a ter "desafios e riscos significativos", particularmente no atual enquadramento de "reduzidos níveis de taxas de juro nominais", pelo que devem estar preparados e devidamente provisionados, refere o Relatório de Estabilidade Financeira do Banco de Portugal.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Dado Ruvic / Reuters

Segundo o documento divulgado hoje, as instituições financeiras devem estar preparadas para o risco do país, que teria impacto no custo de financiamento da economia, e que para minimizar esse risco, os bancos devem emitir dívida de médio e longo prazo.

"Avolumam-se os riscos para a estabilidade financeira decorrentes de uma reversão desse comportamento" de 'search for yield'", ou, por outras palavras, os bancos devem procurar ativos com maiores remunerações devido ao ambiente de manutenção de taxas de juro muito baixas, indica o comunicado do Banco de Portugal (BdP).

É que, segundo o BdP, "um ambiente de baixas taxas de juro nominais pode favorecer a tomada excessiva de risco, a sobrevalorização dos ativos e a compressão da rendibilidade das instituições financeiras", pelo que, face a estes riscos, os bancos devem prosseguir a "reafectação do crédito".

Ou seja, o crédito deverá ser direcionado "a mutuários com maior qualidade creditícia, em detrimento de mutuários sem viabilidade económica", sendo "essencial" que, na avaliação de novos créditos, quer a particulares quer a empresas, sejam adotados critérios prudentes, privilegiando a capacidade de geração de rendimento futuro, inclusive em cenários diversos do atual", aconselha o Relatório.

Além disso, o supervisor financeiro alerta que a economia portuguesa "mantém-se particularmente sensível a desenvolvimentos nos mercados financeiros internacionais" e este fator "assume especial importância dado o ainda elevado endividamento" da economia no exterior.

Pelo que, o relatório aconselha a necessidade de continuar "os processos de consolidação orçamental e de desalavancagem de famílias e empresas", um fator "essencial para a estabilidade financeira de Portugal", principalmente devido a uma subida futura das taxas de juro "e ao decorrente aumento do serviço da dívida".

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.