sicnot

Perfil

Economia

Prestações da casa já beneficiam de taxas negativas

As famílias com empréstimos à habitação indexados à Euribor a seis meses cujos contratos sejam revistos em dezembro já vão beneficiar dos valores historicamente negativos da taxa em novembro, o que vai permitir poupar na prestação ao banco.

(Arquivo)

(Arquivo)

Reuters

Pela primeira vez, o mês de novembro deverá terminar com as taxas Euribor a seis meses em valores negativos na média mensal, depois de a taxa a três meses já ter descido para terreno negativo há alguns meses.

Com mais de metade dos contratos de crédito à habitação em Portugal indexados à taxa Euribor a seis meses, tal irá significar uma redução da prestação mensal paga ao banco pelas famílias portuguesas que pediram dinheiro para a compra de casa, com impacto imediato para aquelas cujas prestações tenham o valor atualizado já em dezembro.

Segundo os cálculos feitos para a agência Lusa pela Deco/Dinheiro&Direitos, um cliente com um empréstimo à habitação no valor de 150 mil euros a 30 anos indexado à Euribor a seis meses com um 'spread' (margem de lucro do banco) de 1% vai pagar 481,77 euros a partir de dezembro, menos 4,63 euros do que o valor pago desde a última revisão, em junho.

Estas contas foram feitas tendo em conta os valores do mês de novembro até ao dia 25, quando o valor médio da Euribor era negativo em 0,010%, mas permite perceber a tendência mensal e o impacto na prestação a pagar ao banco.

Apesar de o valor de poupança de cinco euros face à última revisão não ser substancial, há que referir que há uma tendência de queda das taxas Euribor que dura já desde 2008 e que se acentuou nos últimos anos.

Por exemplo, um cliente com um crédito com valor, prazo e 'spread' iguais aos da simulação acima pagava 505,32 euros há dois anos, em dezembro de 2013, ou seja, mais 23,55 euros do que pagará a partir de dezembro deste ano. E se compararmos com o que era pago há quatro anos, no final de 2011, a diferença é ainda maior: mais de 100 euros.

Com as taxas Euribor em valores negativos, coloca-se a questão de saber como é que os bancos calculam as prestações nos contratos com os clientes.

Para prevenir eventuais problemas e diferenças de interpretação, já em março o Banco de Portugal veio esclarecer que os bancos são obrigados a "respeitar as condições estabelecidas para a determinação da taxa de juro" nos contratos "celebrados com os respetivos clientes". Ou seja, num crédito com taxa variável a seis meses, se o valor da Euribor for negativo vai abater no valor do 'spread'.

A Deco disse à Lusa que, até ao momento, recebeu apenas uma queixa de um cliente bancário e que a situação foi prontamente resolvida pelo banco em causa.

No entanto, afirmou que continuará vigilante, sobretudo porque a grande maioria dos créditos à habitação está indexada à Euribor a seis meses, que só em novembro desceu para valores negativos na média mensal, que é usada para calcular a prestação do crédito a habitação.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de mais de 50 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário. Em Portugal, a Caixa Geral de Depósitos faz parte deste painel.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.