sicnot

Perfil

Economia

Venda de terrenos da antiga Feira Popular de Lisboa de novo sem propostas

A Câmara de Lisboa anunciou hoje não ter recebido propostas que preenchessem os requisitos para comprar os antigos terrenos da Feira Popular, que iriam novamente a hasta pública na quinta-feira por um valor base de 135,7 milhões de euros.

SIC/Arquivo

SIC/Arquivo

SIC

"O prazo para apresentação de propostas para a hasta pública de alienação dos terrenos da antiga Feira Popular terminou às 17:00 do dia de hoje", porém, "dentro do referido prazo não foi recebida qualquer proposta de acordo com os requisitos definidos", informou a autarquia em comunicado.

Contudo, segundo município, foram recebidas "três manifestações de interesse firmes e fundamentadas, por parte de investidores devidamente identificados, com solicitação da prorrogação do prazo para entrega de candidaturas que estão ainda a ser desenvolvidas".

Falando aos jornalistas, o presidente do município, Fernando Medina (PS), referiu que a autarquia vai decidir "muito em breve" se aceita ou não estas solicitações.

Esta era a segunda tentativa de venda dos terrenos, já que, para o final de outubro, esteve marcado um ato público. Porém, no dia anterior à hasta pública, o município anunciou não ter recebido propostas de interessados.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.