sicnot

Perfil

Economia

Fim da sobretaxa do IRS não vai ser uma grande ajuda para os contribuintes

O fim da sobretaxa para quem tem menos rendimentos não vai significar uma grande ajuda para os contribuintes. Se o Governo avançar mesmo com a eliminação da sobretaxa de IRS, no próximo ano, para quem tem ordenados mais baixos, a medida será pouco representativa no orçamento das famílias.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

Um documento da Autoridade Tributária a que o Correio da Manhã teve acesso revela que em 2014, 3,5 milhões de famílias portuguesas pagaram apenas 67 cêntimos de sobretaxa.
Significa que, a deixarem de pagar o imposto adicional, poupam apenas 67 cêntimos anuais, o que dá 5 cêntimos por mês.
No ano passado, os cofres do estado arrecadaram 930 milhões de euros com a sobretaxa de IRS.
Desses, apenas 2,3 milhões foram pagos pelos contribuintes com rendimentos coletáveis até 7 mil euros anuais.
Esta semana, o governo admitiu a possibilidade, ainda não confirmada, de acabar com a sobretaxa de IRS, mas apenas para os vencimentos abaixo dos 600 euros por mês.

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.