sicnot

Perfil

Economia

Salário mínimo sobe para 530 euros a partir de janeiro

O salário mínimo nacional vai aumentar 25 euros, a partir de janeiro, para os 530 euros. A decisão é do Governo, mesmo sem o acordo dos parceiros sociais.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters


No fim de reunião de duas horas e meia da concertação social, esperava-se um acordo geral para 2016, mas a CGTP não permitiu uma descida da taxa social única, que as empresas exigiam, entre outras medidas.

Os industriais, representados pela CIP, admitiam o aumento salarial, desde que houvesse compensações na TSU ou benefícios fiscais. Agora, sem qualquer acordo, o governo decide de forma unilateral o aumento salarial para 530 euros.

A decisão será tomada no Conselho de Ministros de amanhã.

Por outro lado, patrões e centrais sindicais voltam às negociações no Conselho Económico e Social, em 2016, para debater, não o salário mínimo, mas a produtividade das empresas e dos trabalhadores.

  • Hoje é notícia

    País

    O Governo apresenta hoje, em Lisboa, o pacote legislativo da Nova Geração de Políticas de Habitação, em que se destacam quatro novos instrumentos para responder às carências habitacionais e para promover o arrendamento acessível e a coesão territorial.