sicnot

Perfil

Economia

Salário mínimo sobe para 530 euros a partir de janeiro

O salário mínimo nacional vai aumentar 25 euros, a partir de janeiro, para os 530 euros. A decisão é do Governo, mesmo sem o acordo dos parceiros sociais.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters


No fim de reunião de duas horas e meia da concertação social, esperava-se um acordo geral para 2016, mas a CGTP não permitiu uma descida da taxa social única, que as empresas exigiam, entre outras medidas.

Os industriais, representados pela CIP, admitiam o aumento salarial, desde que houvesse compensações na TSU ou benefícios fiscais. Agora, sem qualquer acordo, o governo decide de forma unilateral o aumento salarial para 530 euros.

A decisão será tomada no Conselho de Ministros de amanhã.

Por outro lado, patrões e centrais sindicais voltam às negociações no Conselho Económico e Social, em 2016, para debater, não o salário mínimo, mas a produtividade das empresas e dos trabalhadores.

  • Portugal vai fechar fronteiras durante a visita do Papa

    País

    O Conselho de Ministros aprovou hoje a reposição temporária do controlo de fronteiras durante a visita do papa Francisco em maio a Fátima. A reposição do controlo de fronteiras decorrerá entre 00:00 de 10 de maio e as 00:00 de 14 de maio.

  • "Civis devem ser prioridade absoluta no Iraque", diz Guterres

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, chegou hoje ao Iraque para abordar a situação da ajuda humanitária, e pediu que a proteção dos civis seja a "prioridade absoluta" à medida que as forças iraquianas batalham para retomar Mossul.

  • Fomos conhecer o novo Samsung S8
    1:42
  • E depois do Brexit?
    3:42
  • Britânicos a viver no Algarve falam em desilusão
    2:32

    Brexit

    Para muitos dos britânicos que vivem no Algarve, o Brexit é a confirmação de que o resultado surpreendente do referendo não tem retorno. Certificados de residência e até a dupla nacionalidade são questões que a partir de agora passam a estar em cima da mesa.