sicnot

Perfil

Economia

Justiça dos EUA pede 20 mil milhões de dólares de indemnizações à Volkswagen

As autoridades norte-americanas decidiram hoje processar judicialmente a construtora automóvel alemã Volkswagen e as suas marcas de gama alta Audi e Porsche, numa ação que reclama 20 mil milhões de dólares de indemnizações.

© Kim Kyung Hoon / Reuters

O Departamento de Justiça e a Agência do Ambiente dos Estados Unidos anunciaram a apresentação de uma queixa comum num tribunal do Michigan contra o grupo alemão, envolvido num escândalo de manipulação das emissões de gases dos seus automóveis.

As duas entidades norte-americanas acusam a Volkswagen de ter equipado 600.000 veículos diesel com um software que permitia "poluir excessivamente", sem que isso pudesse ser verificado, "enganando assim os consumidores e afetando a sua saúde", refere os documentos judiciários.

Esta ação cível é distinta do processo penal: o Ministério da Justiça dos EUA abriu um inquérito penal em paralelo.

Ao tribunal cível, o Departamento de Justiça e a Agência do Ambiente pedem uma indemnização por danos que pode chagar aos 20 mil milhões de dólares e o reembolso das despesas judiciais.

Em concreto, os dois reguladores norte-americanos esperam que a justiça imponha uma multa de pelo menos 32.500 dólares por cada veículo afetado.

A este valor somar-se-iam pelo menos 2.750 dólares por cada veículo por prejuízos causados pelo 'software' instalado.

A Volkswagen, o que gera um volume de negócios anual de 200 mil milhões de euros e emprega 600.000 pessoas, já provisionou seis mil milhões para eventuais acordos e multas.

"A queixa é uma primeira etapa para levar a Volkswagen à justiça, depois de o grupo ter escondido um software falsificador das emissões poluentes", disse Barbara McQuade, procurador do Estado do Michigan em comunicado.

"Os Estados Unidos vão recorrer a todos os meios apropriados contra a Volkswagen para reparação supostas violações das nossas leis sobre a qualidade do ar", acrescentou John Cruden, um dos vice-ministros da Justiça.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.