sicnot

Perfil

Economia

Angola cresce 3,3% este ano

A economia de Angola deverá crescer este ano menos de metade da expansão registada antes da descida dos preços do petróleo, abrandando de 6,8% em 2014, para 3% em 2015 e 3,3% este ano.

De acordo com as "Perspetivas Económicas Globais", do Banco Mundial, hoje divulgadas em Washington, Angola deverá acelerar ligeiramente a expansão económica este ano, passando de 3% em 2015 para 3,3%, este ano, o que representa um crescimento de menos de metade do período pré-crise petrolífera.

A previsão de evolução de 3,3% para a economia angolana está abaixo da perspetiva para o crescimento económico na África subsariana, que o Banco Mundial prevê que acelere de 3,4% em 2015 para 4,2% em 2016, ainda assim abaixo dos 4,6% registados em 2014.

Para o futuro, o panorama também não é risonho: "O ambiente económico global apresentar-se-á provavelmente menos favorável ao crescimento na África Subsaariana em anos futuros, à medida que uma redução nos preços das matérias-primas e condições financeiras mais constrangidas refreiam a atividade", diz o documento.

"A atividade económica na África Subsaariana abrandou para uma taxa de 3,4% em 2015, abaixo dos 4,6% do ano anterior, em resultado dos preços mais baixos das matérias-primas, de um abrandamento económico nos principais parceiros comerciais, graves dificuldades de infraestruturas, instabilidade política e escassez de energia elétrica", diz o relatório que nota que este foi "o resultado económico mais fraco da região, desde 2009".

O abrandamento do crescimento económico, afirma-se no documento, "foi mais pronunciado entre os exportadores de petróleo", nomeadamente Angola e Nigéria, os maiores exportadores da região, mas as perspetivas são moderadamente positivas, prevendo-se que "o crescimento económico na região poderá recuperar, atingindo 4,2% em 2016, à medida que os preços das matérias-primas estabilizam e o fornecimento de energia elétrica melhora em muitos países".

Sobre Angola especificamente, o relatório do Banco Mundial nota que, "prevendo-se que os preços do petróleo se manterão baixos, as receitas fiscais irão provavelmente declinar em Angola e na Nigéria, criando défices".

Em Moçambique, cuja previsão de crescimento aponta para uma ligeira aceleração de 6,3% em 2015 para 6,5% este ano, o Banco Mundial diz que "em alguns países exportadores de matérias-primas, prevê-se que alguns governos invistam largamente em infraestruturas de energia e transportes, recorrendo a emissões de títulos, como no caso da Etiópia, parcerias público-privadas, como em Moçambique, Ruanda e Tanzânia, e a financiamento da China".

Entre os riscos que a região enfrenta este ano, o Banco Mundial aponta o terrorismo e sublinha que "novas baixas do preço do petróleo reduziriam o orçamento dos governos nos países produtores e, um abrandamento, mais rápido que o esperado, na China, poderia fazer subir a pressão dos preços das matérias-primas o que, por seu turno poderia atrasar investimentos planeados em setores de recursos naturais".

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.