sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas dá "luz verde" à aquisição da Axa Portugal pela belga Ageas

A Comissão Europeia aprovou hoje a aquisição da Axa Portugal pela seguradora belga Ageas, após concluir que a operação não levanta problemas a nível de concorrência, no quadro das regras comunitárias em matéria de fusões.

Ainda dependente da aprovação do regulador do mercado, a transação deverá, segundo a Ageas, estar concluída no primeiro semestre de 2016. (Arquivo)

Ainda dependente da aprovação do regulador do mercado, a transação deverá, segundo a Ageas, estar concluída no primeiro semestre de 2016. (Arquivo)

SIC

De acordo com o executivo comunitário, que analisou a proposta de aquisição sob a forma de procedimento simplificado -- o que acontece quando, logo à partida, a operação não suscita preocupações de maior -, não se apresentam riscos a nível de concorrência dada a "limitada quota de mercado" que as empresas terão em conjunto, "e face à presença de competidores fortes" no mercado específico.

Em agosto de 2015, a seguradora francesa Axa anunciara que iria vender à Ageas a sua atividade em Portugal, por um montante de aproximadamente 190 milhões de euros, e estimara que a transação, que necessitava da aprovação do regulador de mercado, seria concluída no primeiro semestre deste ano.

Com a aquisição da Axa, o grupo Ageas, que já detém em Portugal a seguradora Ocidental, espera aumentar a sua quota de mercado no setor segurador não vida para 14,4%, passando a ser o segundo maior grupo, logo a seguir à Fidelidade.

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida