sicnot

Perfil

Economia

Christine Lagarde conta com vários apoios para um segundo mandato

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou hoje que vai designar o próximo diretor-geral "até ao início de março" e Christine Lagarde, que deverá recandidatar-se, pode contar com apoios importantes.

Reuters

Reuters

© Handout . / Reuters

As candidaturas devem ser apresentadas a partir de hoje e até 10 de fevereiro e o Conselho de Administração do Fundo, que representa os 188 Estados-membros, espera fazer a escolha final "até 03 de março" numa base de "consenso", indicou a instituição em comunicado.

Lagarde, que foi nomeada em julho de 2011 para um mandato de cinco anos à frente do FMI, já afirmou que está "aberta" à ideia de disputar num novo mandato, depois de ter sucedido a Dominique Strauss-Kahn, envolvido num escândalo sexual.

O secretário do Tesouro norte-americano, Jak Lew, afirmou hoje em entrevista ao canal de televisão CNBC que "tem grande estima" por Lagarde.

"Penso que fez um excelente trabalho e espero poder continuar a trabalhar com ela", afirmou em Davos.

Questionado sobre se vai apoiar a sua candidatura, indicou: "há muita gente que deve pronunciar-se ainda, estou apenas a dar a minha opinião e vou ficar por aqui".

O ministro das Finanças britânico, George Osborne, referiu que "gostaria muito de apoiar Lagarde para um novo mandato à frente do FMI" e elogiou a "visão e sagacidade" da atual diretora-geral do Fundo.

A Alemanha também manifestou apoio a Lagarde pela voz do ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, que elogiou a sua atuação "num momento difícil após a crise financeira", considerando que "deu um contributo essencial para a boa reputação do FMI".

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, à margem do Fórum Económico de Davos, deu igualmente apoio a Lagarde.

"Tudo o que posso dizer hoje é que as autoridades francesas apoiam e têm grande confiança em Christine Lagarde", declarou Valls aos jornalistas.

Em dezembro, um tribunal francês decidiu que Lagarde deveria responder na justiça pelo seu papel no caso que envolveu o Crédit Lyonnais e o empresário Bernard Tapie, quando era ministra da Economia em França, mas a diretora-geral do FMI recorreu da decisão.

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida